Publicidade

Publicidade

19/06/2012 - 22:33

FIT – BH: Cacá Carvalho em novo Pirandello N

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

Cacá Carvalhorepete parceria com Roberto Bacci

BELO HORIZONTE – Um nenhum cem mil é o último romance do autor Luigi Pirandello. O espetáculo, que tem direção do italiano Roberto Bacci e atuação do ator brasileiro Cacá Carvalho, já foi apresentado para amigos na Itália e fez a estreia nacional no FIT, no último fim de semana. O trabalho foi realizado com o apoio do Ministério da Cultura italiano e da produtora paulista Corpo Rastreado.

Vintangelo Moscardo, filho de um banqueiro, questiona a sua vida a partir de uma situação bizarra. Abandona tudo e funda um asilo, no qual trabalha cuidando das pessoas. Deixa de lado a sua identidade pública e vive no anonimato. A sua imagem social se modifica e as máscaras são deixadas de lado. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, festivais Tags: , , , , , , , , ,
16/06/2012 - 21:47

FIT BH – Domingo é a última apresentação de Villa e Discurso

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

Atrizes do grupo chileno Playa

BELO HORIZONTE – O Teatro Playa trabalha com temas políticos porque considera muito importante discutir essa questão, na medida em que no Chile as instituições não funcionam. Segundo o diretor Guillermo Calderón, que também assina o texto original, o teatro pode ser um meio de conscientizar as pessoas sobre os problemas sociais do Chile.

“O teatro não faz justiça, mas propõe reflexões,” afirma Guillermo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, festivais, Matérias Tags: , , , ,
16/06/2012 - 19:42

FIT – BH: Lisboa por Fernando Pessoa nas ruas de Minas

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

Peça leva a bicicleta do palco para passear nas ruas, conduzida por Fernando Pessoa.

BELO HORIZONTE – Do uso da bicicleta no espetáculo Abito, o grupo Fondazione teve a ideia de fazer uma intervenção cênica que levasse esse objeto para as ruas, eis a gênese de Lisboa que a Fondazione Pontedera (Itália) apresenta no FIT – BH.

A ideia do texto é baseada num livro de Fernando Pessoa que é, na verdade, um guia cultural da capital portuguesa. No enredo, Pessoa chega a Belo Horizonte, encontra os seus heterônimos de bicicleta e os acompanha pelas ruas da cidade, a qual se transforma numa Lisboa imaginária e lírica.

Onze músicos-atores estarão trajando um elegante figurino preto e realizarão ações acrobáticas corporais com as bicicletas. Lisboa já foi apresentada na Dinamarca e, após o FIT, continuará a viajar, passando pela Itália.

DETALHES

Lisboa / Grupo: Fondazione Pontedera Teatro (Itália) / Apresentações: Domingo/ 17/junho/ 10h / Praça Professor Godoy Betônico / Museu Histórico Abílio Barreto – Segunda-feira/ 18/junho/ 16h / Praça Floriano Peixoto / Terça-feira/ 19/junho / 14h / Praça Duque de Caxias (Praça de Santa Tereza)

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, festivais, Matérias Tags: , , , , , , ,
15/06/2012 - 01:33

Oxlajuj B’aqtun no Parque Municipal

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

Grupo da Guatemala apresenta "Oxlajuj B’aqtun", ritual maia

BELO HORIZONTE – O povo maia está num tempo de mudanças, de acordo com o seu calendário. Todos os homens estão integrados com a natureza, dependem dela e o momento da chegada de um novo ciclo é esperado com a esperança de um mundo melhor. Oxlajuj B’aqtun representa rituais maias advindos da cultura latino-americana. O espetáculo representa uma circunstância espiritual que coloca o povo maia em sintonia com os ancestrais e com o público que assiste.

Segundo os artistas do grupo Centro Cultural Sotz’il Jay, “estamos ligados por laços latino-americanos e o papel que ocupam é o de conduzir a energia presente nos rituais e fazer a ponte de ligação entre a tradição maia e o teatro”. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE, festivais, Multimídia Tags: , , , ,
14/06/2012 - 22:12

FIT – BH: Quiet representa Israel

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

De Israel para Belo Horizonte

BELO HORIZONTE – Israel está presente nos noticiários devido aos conflitos já existentes, mas temos poucas oportunidades para conhecer a produção artística do país. Quiet reflete o clima de instabilidade vivido pelos cidadãos e prega a paz entre os povos. Segundo a sinopse do espetáculo, a encenação é inspirada na realidade dos atores da montagem, que são árabes e judeus: um cotidiano em que o choque não permite que haja tranquilidade; o clima é tenso, apesar de muitas pessoas sonharem com uma vida pautada pela calma e pelo fim do medo.

Através do corpo, os atores expressam a instabilidade gerada pela guerra entre Israel e a Palestina. Textos e gritos de desespero são ouvidos durante a apresentação. Dança e teatro se unem. Os movimentos são incessantes, vigorosos e precisos.

Apesar do tema ser interessante, o entendimento do significado dos gestos e dos movimentos é complicado, o que torna a encenação cansativa. São 4 atores em cena, que ora interagem, ora dançam solitários. O tempo passa devagar e as cenas são demoradas.

Durante uma hora de apresentação, o público acompanha coreografias que sugerem um ciclo incessante entre guerra e paz. Brigas dão lugar a encontros harmônicos, mas logo em seguida há outro momento de tensão. Há tentativas de uma relação mais próxima, de toque físico, mas há muita dificuldade de integração, visto que os indivíduos parecem perdidos e enfurecidos, com receio de se entregarem a um relacionamento mais íntimo.

Um contínuo barulho de mar, no início da apresentação, dá lugar a uma trilha intensa e repetitiva, que perturba e irrita, sensações que remeteM o espectador ao espírito conturbado de uma guerra. Quiet nasceu do desejo dos integrantes do Grupo Arkadi Zaides de propor uma reflexão sobre a situação do Oriente Médio e clama por mudanças, que garantam à população uma vida sem violência. É um espetáculo que merece respeito devido ao seu caráter pacificador.

DETALHES

Grupo: Arkadi Zaides (Israel) Gênero: drama Direção e coreografia: Arkadi Zaides Elenco: Muhammed Mugrabi, Yuval Goldstein, Ofir Yudilevitch, ArkadiZaides Música: Tom Tlalim Duração: 1 hora / classificação indicativa: livre

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE, festivais Tags: , ,
07/07/2011 - 19:42

Sua Incelença, Ricardo III abre 11ª edição do FIT

Compartilhe: Twitter

Franklin Catan, especial para o Aplauso Brasil (Franklin@aplausobrasil.com)

"Sua Incelença, Ricardo III", direção de Gabriel Vilella para peça de Shakespeare

O grupo Clowns de Shakespeare, de Natal (RN), abre a programação do 11º Festival Internacional de Teatro (FIT) de São José do Rio Preto logo mais (às 20h) no Anfiteatro Nelson Castro, na Represa Municipal, com Sua Incelença, Ricardo III, uma releitura de Ricardo III, de William Shakespeare, com a expectativa de aproximadamente 4 mil pessoas na platéia.

Sua Incelença, Ricardo III faz parte da Mostra Petrobras, que destaca cinco espetáculos de grupos patrocinados pela estatal – também estão na lista O Grande Circo dos Irmãos Saúde, do Circo Teatro Artetude, de Brasília (DF), Ópera dos Vivos, da Companhia do Latão, de São Paulo, Oxigênio, da Companhia Brasileira de Teatro, de Curitiba (PR), e Till, A Saga de um Herói Torto, do Grupo Galpão, de Belo Horizonte (MG) (que encerra o FIT).

O título do espetáculo de abertura permite uma dupla leitura. Ao mesmo tempo em que “sua incelença” é uma expressão regional, que representa o pronome de tratamento sua excelência, é também o nome dado à cantigas típicas do Nordeste, geralmente atreladas a rituais fúnebres. Tais músicas, com ciclos de repetições de melodia e letra, mesclam-se a clássicos do pop inglês, incluindo Bohemian Rhapsody, da banda Queen.

Mas não é só a trilha sonora que cria pontes entre a cultura popular brasileira e o universo elisabetano. De um lado, cenografia, figurino e sotaque caracterizam o sertão. De outro, há a base da fábula britânica de William Shakespeare, Ricardo III. A trama se passa no final da Guerra das Rosas, conflito sucessório pelo trono da Inglaterra, que ocorreu entre 1455 e 1485. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , ,
16/07/2010 - 18:23

Abertura do FIT 2010 celebra a arte do palco

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Simone Mazzer em "Antes"

Mais de cinco mil pessoas estiveram ontem no auditório da represa municipal – que fica ao ar livre – para assistir Antes, da Armazém Cia. de Teatro, espetáculo produzido exclusivamente para a edição 2010 do FIT – Festival Internacional de São José do Rio Preto. Poético, sem negar a cruel realidade contemporânea, o espetáculo juntou uma multidão para celebrar a arte do palco.

Escrito por Maurício Arruda de Mendonça e Paulo Moraes (que também assina a direção),  Antes trata de um inusitado encontro entre pessoas em fuga das águas que caem em determinada cidade (claro que somos levados a associar o fato aos danos sofridos pelos cariocas – a trupe tem sede no Rio de Janeiro – com as torrenciais chuvas que os atacaram sem dó) e os fantasmas que habitam o velho teatro abandonado, cenário do encontro.

No enredo estão desde discussões sobre a relação entre o homem e a mulher, o uso desvirtuado das palavras (o monólogo em que Patricia Selonk fala que a publicidade estuprou as palavras e de como  o discurso dos políticos é a antítese do que realmente fazem é impagável), auto-avaliações sobre o fazer artístico, vida e morte, entre outros, utilizando recursos cênico-visuais surpreendentes como as diversas dimenções utilizadas para tratar de assuntos corriqueiros – em uma cena, por exemplo, os atores sobem pelas paredes alcançando o topo do cenário, como se fosse uma representação imagética de que a relação chegou a seu estopim;  noutra, Simone Mazzer canta lindamente etc.  

Assim, Antes se adequou plenamente ao conceito do festival,  A Conquista da Singularidade.

*Michel Fernandes viajou a convite do FIT – Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Matérias Tags: , ,
16/07/2010 - 13:40

Quando a tecnologia é a estrela da peça

Compartilhe: Twitter

Por Fernanda Teixeira do FIT 2010
 

Peça de cia. canadense explora experiência sensorial

Destaque do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto, o espetáculo  Os Cegos – Fantasmagorias Tecnológicas, do canadense Denis Marleau, da Ube Cie Theatre, com aprentação no dia 22, às 17h, traz um fato inusitado: não tem atores em cena.

 Assim, utiliza efeitos tecnológicos, com projeções dos personagens no palco. O espectador permanece na escuridão, em uma experiência singular e pode experimentar os sentimentos vividos pelos personagens. A platéia, formada por 72 espectadores, fica acomodada numa caixa preta em cima do palco. Parceria do SESC-SP com secretaria de Cultura de Rio Preto, o evento faz 10 anos agora em 2010.

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , ,
14/07/2010 - 02:42

Peça exclusiva marca abertura do 10º FIT

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Las Julietas" com entrada gratuita

No ano em que comemora seu décimo aniversário, o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT) traz novidades. Além dos seis espetáculos internacionais e 33 brasileiros, que se apresentam entre 15 e 24 de julho, muitos deles gratuitos, a abertura do FIT 2010, cujo tema é a Conquista da Singularidade, terá a apresentação de Antes, com a Armazém Companhia de Teatro, espetáculo criado especialmente para abrir o Festival.

O espetáculo terá uma única apresentação – no dia 15 de julho, às 20h, no Anfiteatro da Represa Municipal -, e será apresentado exclusivamente aos espectadores do FIT 2010, o que é inédito na história do evento.

Antes mostra pessoas comuns que se encontram num velho teatro abandonado e experimentam novas maneiras de se relacionarem com o mundo que as cerca. Quem assina o texto são Maurício Arruda de Mendonça e Paulo de Moraes (também diretor do espetáculo) que, ano passado trouxeram, o premiadíssimo, Inveja dos Anjos ao FIT.

Há alguns anos, a Armazém Companhia de Teatro trouxe três excelentes espetáculos de seu repertório (Alice Através do Espelho, Pessoas Invisíveis e A Caminho de Casa ), apresentados num dos galpões da Swift. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , ,
02/07/2010 - 03:45

Vem aí o FITFestival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto 2010

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Espetáculo Uruguaio, "Las Julietas",gratuito no FIT 2010

Estão à venda os ingressos para os espetáculos que participam da edição 2010 do FIT Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto que nesse ano traz espetáculos de seis nacionalidades, estreias de peças de grupos nacionais, uma série de debates e muitos espetáculos gratuitos de 15 a 24 de julho.

Danilo Santos de Miranda é o presidente de honra do FIT que conta com coordenação geral de Deodoro Moreira e Sebastião Eduardo Costa Martins.

Na equipe de curadores estão Sidnei C. Martins, Sergio Luis Venitt de Oliveira, Roberto Alvim e Gabriela Mellão.

Os ingressos vão de R$ 2,50  R$ 10 sendo que 24 deles, mais da metade total, são gratuitos, sendo dois deles internacionais (Lãs Julietas, do Uruguai, e Kamchàtka, da Espanha).

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO NO SITE DO FIT.

INGRESSOS Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , ,
Voltar ao topo