Publicidade

Publicidade

09/11/2010 - 23:35

Simplicidade é a tônica de “Dizer e Não Pedir Segredo”

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Ponto de partida de peça é o livro "Devassos no Paraíso", de João Silvério Trevisan

Com entrada franca, peça é o resultado de pesquisa dos atores e da direção sendo o livro “Devassos no Paraíso – A homossexualidade no Brasil, da Colônia à Atualidade”, de João Silvério Trevisan,  ponto de partida do espetáculo.

Para que a magia do teatro aconteça basta que haja o ator que irá contar uma história e alguém para ouvi-la. Este é o caminho mais simples e, por isso mesmo, talvez o mais difícil! No entanto, o que se vê hoje em dia é o uso, às vezes exagerado, da parafernália tecnológica existente para cenário, iluminação, trilha sonora e figurino. O essencial do teatro — o ator trocando energia diante da platéia — é posto em segundo plano.

Mas em “Dizer e Não Pedir Segredo”, o simples é a tônica! Numa composição coletiva entre os atores e a direção do grupo Teatro Kunyn, a peça é o resultado de uma longa pesquisa cujo objetivo era refletir sobre a homossexualidade no Brasil, “de tentar entender o que seria a construção de uma identidade gay em paralelo à construção de uma identidade brasileira”, segundo Luiz Fernando Marques, que assina a direção. O livro “Devassos no Paraíso – A homossexualidade no Brasil, da Colônia à Atualidade”, de João Silvério Trevisan, foi o ponto de partida da montagem.

E o simples é levado ao pé da letra: tudo acontece numa sala de um apartamento, onde a platéia bem reduzida (20 pessoas), entra pelo elevador do edifício e ao chegar à sala, escolhe onde sentar e é convidada a pegar um dos adereços que servirá para que os atores (Luiz Gustavo Jahjah, Paulo Arcuri e Ronaldo Serruya) desenvolvam as histórias. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
28/10/2010 - 06:27

Pioneiro na inserção de gays, teatro besteirol ganha livro

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o MixBrasil

Imprensa Oficial de São Paulo lança na quinta-feira livro sobre o teatro besteirol

Luís Francisco Wasilewski, autor do livro

Em meio à Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a Coleção Aplauso da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, coordenada pelo crítico de cinema Rubens Ewald Filho, realiza festa no 4º andar do Shopping Frei Caneca para comemorar seu sucesso na recuperação das artes brasileiras e lançar mais 50 livros. Dentre os novos títulos está “Isto é Besteirol – O Teatro de Vicente Pereira”, de Luís Francisco Wasilewski, que entre os principais autores do gênero estão, além de Vicente, Mauro Rasi, Miguel Falabella e Pedro Cardoso.

CLIQUE AQUI pra ler a matéria na íntegra.

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , ,
Voltar ao topo