Publicidade

Publicidade

01/06/2012 - 21:30

Centro Acadêmico de Teatro da UFRGS luta por espaço para apresentações

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

PORTO ALEGRE – Creio que no estado em que nasceu nossa presidenta, Dilma Roussef, onde a democracia tem plena força, o reitor Carlos Alexandre Neto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), não poupará esforços em ouvir seus alunos no objetivo de tomar as devidas providências quanto ao espaço para que possam executar tarefas acadêmicas.

O Aplauso Brasil enviará uma entrevista ao reitor para explanar sobre o assunto, pois é chocante, como podemos ver no vídeo que se  segue, o triste retrato do descaso para suprir necessidades básicas do teatro que deveria servir aos alunos do curso de artes cênicas da instituição.
<a href="“>

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, ESPAÇO GRUPOS & CIAS., Multimídia, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , ,
15/05/2012 - 22:10

Clowns de Shakespeare voltam a SP com O Capitão e a Sereia

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Clowns de Shakespeare apresenta "O Capitão e a Sereia"

SÃO PAULO – Sucesso dos Clowns de Shakespeare, grupo teatral do Rio Grande do Norte,  O Capitão e a Sereia volta à capital paulista para cumprir sua segunda temporada – sua estreia por aqui se deu no final de 2009, com esse espetáculo que recebeu duas indicações ao Prêmio Shell de Teatro, vencendo na categoria Melhor Figurino – em temporada popular, na Funarte, até o dia 03 de junho.

A história é baseada no livro homônimo de André Neves, que conta a saga de um homem que sonhava conhecer o mar e, para tanto, abandonou o sertão nordestino e o grupo de teatro do qual era ator e diretor. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, festivais, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
17/04/2012 - 18:37

7º Festival Palco Giratório começa em maio

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Festival Palco Giratório abre vendas dia 23

PORTO ALEGRE – O Festival Palco Giratório SESC/POA chega a sua sétima edição este ano, trazendo à capital gaúcha mais de 100 ações culturais entre espetáculos, atividades formativas, palestras e exposições. Serão 46 espetáculos de 41 grupos, 81 sessões e a vinda de artistas de 11 estados brasileiros e três países.

O evento, que já se tornou um marco do calendário cultural de Porto Alegre, acontece entre os dias 04 e 27 de maio e vai movimentar a cena cultural da cidade, promovendo um intercâmbio entre artistas de 11 estados brasileiros, além do elo cultural com a Dinamarca, que estará presente no Festival por meio da participação do Odin Teatret.

Cia. baiana apresenta "Pólvora e Poesia", de Alcides Nogueira e direção de Fernando Guerreiro

Entre os destaques desta edição estão dois espetáculos do grupo dinamarquês: As Grandes Cidades sob a Lua e Ode ao Progresso , o monólogo Depois do Filme, que marca a volta aos palcos do diretor Aderbal Freire Filho, as premiadas encenações Oxigênio, da Cia Brasileira de Teatro, e Luis Antônio Gabriela, da Cia Mungunzá. Também chegará na programação do circuito a encenação baiana de Pólvora e Poesia, primoroso texto de Alcides Nogueira, que recebeu a direção de Fernando Guerreiro e está há dois anos em cartaz, sendo  considerada como uma das grandes montagens do teatro baiano dos últimos anos.

Haverá na programação do evento a Residência Artística com o consagrado  Odin Teatret e uma palestra  sobre A Organização e Cultura do Odin Teatret, com Anne Savage.

A programação completa do 7º Festival Palco Giratório SESC/POA pode ser conferida no site www.sesc-rs.com.br/palcogiratorio.

INGRESSOS:

Venda de ingressos antecipados de 23/04 a 27/05

Ponto de Venda para Ingressos Antecipados: SAC (Setor de Atendimento ao Cliente) Unidade Sesc Centro – Av Alberto Bins,665

Nas bilheterias dos espaços, conforme disponibilidade, no dia da apresentação, com 1 hora de antecedência.

Atendimento: segunda a sexta das 8h às 19h45 e até às 12h para a *apresentação do dia.

Atendimento para Apresentação do Dia: Após às 12h e havendo ingressos disponíveis, a venda ocorre somente no local de cada apresentação uma hora antes do início do espetáculo.

* Para o espetáculo Breves Entrevistas com Homens Hediondos – Venda somente nos dias e no local das apresentações

Valores: R$ 5 a R$ 20

R$ 20,00 público em geral

R$ 10,00 para estudantes, maiores de 60 anos, classe artística e empresários com cartão SESC

R$ 5,00 para COMERCIÁRIOS e dependentes*

*COMERCIÁRIOS (titulares e dependentes): mediante apresentação do cartão SESC e somente um ingresso por espetáculo para cada cartão.

Formas de pagamento na compra antecipada:

Dinheiro

Cheque à vista, cartão débito ou crédito (visa; mastercard e amex)

Formas de pagamento para compra na hora: somente pagamento em dinheiro

Informações sobre a venda de ingressos e de toda a Programação do Festival: (51) 3284 2070.

ESPETÁCULOS COM ENTRADA FRANCA: Acesso mediante distribuição de senhas somente no local e no dia do evento, uma hora antes de cada apresentação.

Atenção: Acesso a espetáculos em Escolas Públicas é necessário agendamento prévio.

ACESSO PALESTRAS, MESAS REDONDAS E SESSÕES DE FILMES:

Acesso livre conforme ordem de chegada e sujeito a lotação do espaço. (abertura de portas 30 minutos de antecedência)

*Atenção: para a Palestra com o Eugênio Barba ocorrerá distribuição de senhas somente no local e no dia do evento, uma hora antes da atividade.

Oficinas:

Para Oficina de Montagem Abre-Alas (Lume Teatro):

50 vagas disponíveis

Período de envio: de 23/04 a 15/05, seleção por ordem de envio.

Acesso a oficinas:

Inscrições gratuitas de 23/04 até 07 de Maio. Os interessados devem enviar e-mail para festival@sesc-rs.com.br , com as seguintes Informações: Nome Completo, Endereço, Telefone, E-mail e breve currículo ou carta de intenção para análise.

Aguardar retorno de confirmação, por e-mail, até 2 dias anteriores a atividade. O envio da Inscrição não garante a participação nas atividades, somente o e-mail de confirmação enviado pela produção do Festival.

Conferências, Palestras e oficinas:

Acesso livre, conforme lotação do espaço.

Locais de realização:

* Teatro Sesc Centro: Av. Alberto Bins, 665 (Fone: 51 3284-2070)

* Café Sesc Centro: Av. Alberto Bins, 665 (Fone: 51 3284-2070)

* Theatro São Pedro: Praça Marechal Deodoro, s/n – (Fone: 51 3227-5100)

* Teatro Renascença: Av. Érico Veríssimo, 307 (Fone: 51 3289-8066)

* Sala Álvaro Moreyra: Av. Erico Veríssimo, 307 (Fone: 51 3289-8066)

* Teatro de Câmara Túlio Piva: R. da República, 575 (Fone: 51 3289-8093)

* Sala Carlos Carvalho – Casa de Cultura Mário Quintana: R. dos Andradas, 736

* Teatro do Museu: Rua Dos Andradas, 230 (Fone: 3227 5196)

* Sala Alziro Azevedo – UFRGS: R. General Vitorino, 255 (Fone: 3308 4374)

* Casa de Teatro: R. Garibaldi, 853 (Fone: 3029 9292)

* CMTE Paulo Freire: R. Santa Terezinha, 572 – Santana

* Escola Municipal Grande Oriente: R. Wolfran Metzler, 600 – Rubem Berta (Fone: 3366 1602)

* Circo Girassol: R. Doutor Sinval Saldanha, 286 – Bom Jesus (Fone: 3387 8595)

* Largo Glênio Peres

* Rua dos Andradas

* Estacionamento da Usina do Gasômetro

* Esquina Democrática

* Largo Zumbi dos Palmares

* Parque Farroupilha

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
04/04/2012 - 20:23

Leo Lama assina texto de Grande Espírito da Intimidade

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Clovys Tôrres e Adriana Lodoño re-estreiam "Grande Espírito da Intimidade"

SÃO PAULO – Depois de temporada no Espaço Cultural Capobianco, Grande Espírito da Intimidade re-estreia nesta sexta-feira (6) no Teatro Studio SP da Vila Madalena. O texto de autoria de Leo Lama, filho do dramaturgo Plinio Marcos e da atriz Walderez de Barros, traz como protagonistas os atores Adriana Londoño e Clovys Torres. A direção é de Andréah Dorim.

A peça aborda a intimidade da natureza humana tendo como metáfora a discussão de um casal em crise. Ela (Adriana Londoño) o ama profundamente e está com medo de perdê-lo. O homem está bêbado de cauim, bebida fermentada indígena, ouve vozes e cantos indígenas, enquanto ela prepara um misterioso ensopado. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , ,
04/04/2012 - 19:50

Esther Góes dirige texto de Harold Pinter

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Elenco de "A Coleção", de Harold Pinter

Depois de ser dirigida pelo filho, a atriz desta vez assina a direção da primeira montagem paulistana de A Coleção, em que Ariel Borghi contracena com Amazyles de Almeida, Marcos Suchara e Marcelo Szpektor. Dois casais do mundo da moda se relacionam de maneira nada amistosa e o público é convidado a desvendar os mistérios da trama

SÃO PAULO – O instigante texto de Harold Pinter, A Coleção, em cartaz no Teatro Grande Otelo, é encenado, pela primeira vez na capital paulista, pelas mãos da atriz Esther Góes. O enredo se passa na década de 1960 e mostra a relação recheada de atritos e mistérios entre dois casais, que moram no mesmo bairro. De um lado estão James e Stella (vividos por Ariel e Amazyles) que são donos de uma bem-sucedida grife e, de outro, o aristocrata Harry (Suchara) que vive com Bill (Szpektor), um estilista dez anos mais novo.

Para mostrarem suas novas coleções, Stella e Bill participam, numa cidade vizinha, de uma feira de moda e se conhecem no hotel. O que acontece entre eles é o mote de toda a peça: Pinter faz o jogo de mostra e esconde e a plateia precisa ir montando o quebra-cabeça, tanto do que ocorreu entre os dois estilistas durante o evento de moda como da relação que se estabelece entre os quatro personagens. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , ,
30/11/2011 - 20:28

O Grande Inquisidor agora no SESC Pompeia

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"O Grande Inquisidor" - crédito Águeda Amaral

SÃO PAULO – Sucesso de público e crítica, o espetáculo O Grande Inquisidor tem adaptação e direção de Rubens Rusche, cenografia e figurinos de Sylvia Moreira e traz à cena o ator Celso Frateschi. A montagem está de volta, dessa vez no SESC Pompeia.

“Recentemente, encenadores, como Patrice Chéreau e Peter Brook, entre outros, realizaram versões teatrais da obra com grande sucesso. O que nos inspira montar esse texto nos dias de hoje é sua pertinência poética e a contundência das questões que ele concretiza para o homem e para a sociedade do início do século 21. Talvez esta seja a sua contribuição para o teatro”, diz Celso Frateschi.

Sobre a construção de seu personagem, Frateschi detalha: “Busco a complexidade de suas relações e suas múltiplas possibilidades, para depois sintetizar, em ações essenciais, signos poéticos que possam estimular o prazer e a reflexão da plateia. O nosso Grande Inquisidor, feliz e infelizmente, é aquilo que está em cada um de nós e que, se ainda nos resta alguma esperança, repudiamos. É mais fácil vê-lo nos outros do que em nós mesmos, mas ele está em cada um de nós, passiva ou ativamente. Essa é a grande provocação de Dostoievski”. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , ,
11/03/2011 - 17:37

Vida de Mário de Andrade ganha visão dramática de Gabriela Rabello

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Estreia no CCSP, "O Grande Grito"

O Grande Grito, peça de Gabriela Rabelo, com direção de José Renato, estreia nesta sexta-feira (11) na sala Jardel Filho do Centro Cultural São Paulo. O texto fala sobre o escritor Mário de Andrade e sua polêmica atuação no primeiro Departamento de Cultura da cidade de São Paulo, entre 1935 e 1938.

De sua gestão nesse primeiro Departamento de Cultura de São Paulo ficaram sementes de projetos para Educação e Cultura que existem até hoje Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,
30/11/2010 - 22:22

Tereza Salgueiro veleja sob um oceano musical

Compartilhe: Twitter

Edson Júnior, especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

Tereza Salgueiro apresenta "Voltarei a Minha Terra" no Rio de Janeiro

Portugal aportou no Teatro Alfa para duas apresentações do show “Voltarei a minha Terra” pelas mãos delicadas e seguras de Tereza salgueiro.  Consagrada como vocalista do conjunto lusitano Madredeus, Tereza segue com seu quarteto para o Rio de Janeiro onde se apresenta apenas amanhã, no Teatro Oi Casa Grande. Sem dúvida, um programa imperdível.

A soprano conduziu o cancioneiro de sua pátria esquadrinhando os  ritmos, melodias e tradições desde a idade média à atualidade.  Contudo, o peso quase enciclopédico de tantos anos de música suavizou-se na emissão precisa e interpretação generosa que não poupou um certo didatismo. Bem vindo, pois a platéia aprendeu mais inclusive sobre a diferença do fado cantado em Lisboa e Coimbra, e a explicação diminuiu um possível hiato sonoro, já que em nosso cotidiano outro idioma bem mais estrangeiro domina as rádios e as lojas de discos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , , , ,
20/05/2010 - 22:21

Um certo Arrabal aterrisa no Teatro Augusta

Compartilhe: Twitter

Ruy Jobim Filho, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"O Grande Cerimonial" - Alessandro Hernandez e Amália Pereira O Teatro paulistano tem a sorte e o privilégio da diversidade, onde clássicos modernos e clássicos eternos dividem a cena e traçam suas estratégias múltiplas para acordar um público não menos do que avisado. Em inglês, a palavra moviegoer se aplica muito bem ao cinéfilo que prefere ver seus filmes prediletos na telona. O theatergoer (e essa palavra existe mesmo, não é um neologismo) daqui, de São Paulo, tem, como opções, desde Nelson a Plínio (Marcos), de Neil LaBute a Shakespeare, de Luis Alberto de Abreu a Sade. Mas é um certo Arrabal que dá o cutucão feroz em todo o restante, mexendo com as ideias (agora, sem o acento) e com as plateias (também sem o acento). Arrabal tira o acento.

O (já clássico) Fernando Arrabal (nascido em 1932, no Marrocos espanhol) é o mais recente dramaturgo montado pelo Teatro Kaus Cia. Experimental, grupo que foi trazido de São José dos Campos para a capital pelo diretor Reginaldo Nascimento e pela atriz/jornalista Amália Pereira e que já montou muita coisa boa por essas bandas de cá. Agora eles trazem O Grande Cerimonial para completar o rol e ficar em cartaz na Sala Experimental do Teatro Augusta.

Arrabal não poupa nada, nem ninguém, e o mesmo faz essa montagem do Kaus. Concessão zero. O personagem central de O Grande Cerimonial, o (quase coitado) Cavanosa, um Casanova totalmente às avessas, é o embate em pessoa. Sua alma atormentada luta contra seus fantasmas, suas ilusões e suas sombras. Nascimento aproveita as vertentes do autor de clássicos modernos, como O Cemitério de Automóveis e O Arquiteto e o Imperador da Assíria, para tecer sua encenação em direção ao bizarro da vida humana. O Teatro Pânico de Arrabal tem, no sangue, a tradição do que há de mais bizarro, por exemplo, em autores como o espanhol Valle-Inclán. Mas segue além. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , ,
19/05/2010 - 14:35

Ultrapassados ou não?

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

O ator Celso Frateschi comemora 40 anos de carreira no monólogo "O Grande Inquisidor"

Alguns espectadores que saem do Teatro Bibi Ferreira discutem se A Dança Final está ultrapassada ou não. Tudo por conta do Viagra. Em primeiro lugar a peça em cartaz no momento, com as maravilhosas interpretações de Denise Weinberg e Norival Rizzo, foi escrita por Plínio Marcos em 1993 e re-escrita em 2002, para a primeira montagem dirigida por Kiko Jaez, onde se incluía o Viagra que o protagonista não podia tomar.

O espetáculo atual se baseia no texto de 1993 e não inclui o medicamento propositadamente, pois menciona que alguém do mesmo prédio não podia tomá-lo por ser diabético. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo