Publicidade

Publicidade

25/11/2011 - 23:14

Em seu quarto Nelson Rodrigues, Grupo Gattu provoca amor à primeira visita

Compartilhe: Twitter

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Grupo Gattu encena "A Serpente" sob direção de Eloísa Vitz

SÃO PAULO – Com 10 anos de intensas atividades, desde sempre sob a direção da culta e talentosa Eloisa Vitz,  mestra na arte paradoxal de mesclar cartesianismo  e os devaneios da paixão, o Grupo Gattu (sobrinho involuntário do tiozão  TAPA) comemora sua 11ª encenação (a quarta de textos rodriguianos com A Serpente).

Com bom conceito por parte de um setor da crítica (o mais antenado) e de um público fiel (ainda reduzido, como nos tempos heróicos do TAPA ), a jovem diretora e sua numerosa e  empenhada equipe não conseguem esconder a perplexidade. Motivo: a “classe teatral” teima em se manter alheia aos belos frutos da rotina de 30 horas semanais de preparo das técnicas teatrais a que o conjunto se impôs nesse tempo todo de caminhada.

Para enfrentar os desafios da modernidade de encenação de um texto, o Grupo continua dedicando-se  às técnicas corporais, da dança, da voz, do canto, da música, das artes plásticas e agora, para A Serpente,  também da yôga e da circense corda bamba .

Fica, então, a critério de cada um do meio teatral aliviar essa constrangedora situação, alimentada, talvez, pela serpente do ciúme para com os  eleitos das musas.

A Serpente causa taquicardia e vertigens Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , ,
18/11/2011 - 16:33

Último final de semana de Tio Vânia do Grupo Galpão

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Yara de Novaes dirige "Tio Vania" foto de Guto Muniz

Você tem até domingo para conferir a montagem do grupo mineiro para o clássico de Anton Tchekhov, no SESC Vila Mariana, com direção de Yara Novaes

SÃO PAULO – Um clássico é sempre clássico. E quando se trata de uma peça do escritor e dramaturgo russo Anton Tchekhov aí é imprescindível. Por isso que você não pode deixar de assistir a montagem do Grupo Galpão, de Minas Gerais, para o clássico de Tchekhov Tio Vânia (aos que vierem depois de nós), que encerra temporada de nesse final de semana no SESC Vila Mariana.

Com direção de Yara Novaes, o espetáculo do Galpão já percorreu diversos festivais de teatro pelo país, cumpriu temporada em Belo Horizonte e Rio, além da apresentação no Teatro Vascello (Roma/ Itália) antes dessa temporada paulistana.

Tio Vânia (aos que vierem depois de nós) não é o primeiro trabalho do Galpão com Anton Tchekhov . Em 2008, o grupo participou de um projeto que uniu teatro e cinema: sob direção de Enrique Diaz, o processo de montagem da peça As Três Irmãs, era o roteiro do diretor Eduardo Coutinho para o documentário Moscow. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , ,
03/11/2011 - 19:23

São Paulo recebe o Tio Vânia do Grupo Galpão

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Grupo Galpão apresenta "Tio Vânia" no SESC Vila Mariana

SÃO PAULO – O chá russo servido pelo samovar de Tchekhov em Tio Vânia, mesclado ao café mineiro do Grupo Galpão resultou num espetáculo delicado e suave, dirigido por Yara de Novaes, cuja estreia paulistana acontece logo mais no Teatro SESC Vila Mariana.

Assisti à estreia nacional do espetáculo na edição deste ano do Festival de Curitiba e me surpreendeu a naturalidade minimalista alcançada  pelo Grupo Galpão, muito bem reconhecido por seu trabalho de memoráveis espetáculos em que a exuberância das convenções teatrais, a utilização da linguagem cênica popular e de rua são suas marcas registradas.

Yara de Novaes  imprimiu uma aridez ao espetáculo que ajudou na condução limpa e aprofundada dos atores. Cabe ao elenco de Tio Vânia secar o virtuosismo de saltimbancos que os caracteriza em pról de expressar as camadas mais sutis e contidas retratadas na trama que aborda as frustrações de cada um dos personagens, presos à própria inércia e acomodados com o que a vida lhes oferece em sua mais visível camada. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , ,
17/10/2011 - 17:06

A Troca entre Grupo e Comunidade

Compartilhe: Twitter

Tatiana Rehder

Diretora do Grupo Arte Simples de Teatro que realiza um projeto de residência artística na Comunidade de Heliópolis  na cidade de São Paulo.

www.artesimples.com.br

Arte Simples de Teatro comanda festival com jovens da comunidade de Heliópolis

Tenho imenso prazer em inaugurar o Espaço Grupos & Cias. Com um artigo tão interessante quanto esse da Tatiana Rehder, diretora do grupo Arte Simples de Teatro, que desenvolve um transformador trabalho com a comunidade do bairro Heliópolis, na periferia de São Paulo. Notável a consciência do trabalho contínuo, mesmo com verba escassa, conforme discorre Tatiana no artigo abaixo. Devemos atentar sobre a ética na conduta de trabalhos artísticos que envolvam comunidades e cobrar, SEMPRE, para que os órgãos públicos e, por que não?, privados entendam, de uma vez por todas, o poder transformador da a arte junto a uma comunidade e viabilizem, assim, sua continuidade.

(Michel Fernandes)

A Troca entre Grupo e Comunidade

Tatiana Rehder

Ao iniciar esse texto onde o tema é a troca entre grupo de teatro e comunidade, dei-me conta que, antes mesmo de começarmos nosso projeto de residência artística na comunidade de Heliópolis, a palavra “Troca” foi o que nos moveu até esse encontro. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, ESPAÇO GRUPOS & CIAS. Tags: , , , , , , , , ,
04/08/2011 - 17:49

José Miguel Wisnik e Carlos Núñez: a mescla de sonoridades que embala o Grupo Corpo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

JOSE MIGUEL WISNIK

Parceiro veterano do Grupo Corpo, José Miguel Wisnik juntou-se com o musicista espanhol, o galego Carlos Núñez, “especialista em instrumentos medievais”, conforme disse, e da mescla entre sonoridades surgiu a trilha composta para Sem Mim, nova coreografia do Grupo Corpo, companhia de dança de Belo Horizonte (MG).

"Sem Mim" - crédito José Luiz Pederneiras

Como meu parceiro de criação, Carlos Núñez,é espanhol, galego, trouxe as gravações das e partituras (do trovador medieval viguês,  Martín Codax) e propôs que gravássemos o material com músicos brasileiros. Ele é um instrumentista especialista nesses instrumentos galegos medievais, uma variedade de flautas, a gaita de fole – que ele é um virtuose (considerado o “Jimmy Hendrix as gaita de fole) -, enfim, trouxe uma porção de instrumentos medievais como a viola da camba que combinaram com instrumentos brasileiros como as violas caipiras instrumentos de percussão, o pandeiro. Da combinação das duas sonoridades nasceu a nossa trilha, da mescla de instrumentos antigos e atuais, das diferentes sonoridades, do mergulho para o interior como do jorro externo”, disse Wisnik. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , ,
01/08/2011 - 17:56

Assista a um vídeo de O Corpo

Compartilhe: Twitter

"Sem Mim" - crédito José Luiz Pederneiras

Como é de praxe, o primeiro ato do espetáculo oferecido todos os anos no Teatro Alfa pelo Grupo Corpo traz uma coreografia antiga que faz parte do repertório do grupo de Belo Horizonte (MG). Para acompanhar Sem Mim, estreia desse ano (CLIQUE AQUI para ler a matéria), será re-apresentada O Corpo, coreografia de Rodrigo Pederneiras, criada em 2000, com trilha original de Arnaldo Antunes.

<a href="“>

GRUPO CORPO no TEATRO ALFA – SERVIÇO

local: Teatro Alfa (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – tel. 5693.4000)

datas: 4 a 14 de agosto, de quarta a segunda-feira

horários: quarta, quinta e sábado, 21h; sexta, 21h30; domingo, 18h

Preços: Setor I e II, R$ 100,00; Setor III, R$ 70,00 e Setor IV, R$ 40,00

Lotação: 1110 lugares

Duração: O Corpo (42m) – intervalo de 20m – Sem Mim (47m)

Classificação etária: livre

Estacionamento: Valet c/ manobrista = R$ 25,00 – Self = R$ 18,00

Como Comprar:

Por Telefone: 5693-4000 e             0300-789-3377       (Serviço exclusivo do Teatro Alfa)
Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, MasterCard e Diners Club), de segunda à sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Em dias de eventos até 1 (uma) hora antes do início dos mesmos. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo.

Ingresso Rápido – 4003.1212 – www.ingressorapido.com.br

Pessoalmente – Bilheteria do Teatro Alfa:

Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, MasterCard, Diners Club), cartões de débito (Visa Electron e Redeshop) ou dinheiro, de segunda à sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 18h. Em dias de eventos até o início dos mesmos.

Site: www.teatroalfa.com.br

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, Multimídia Tags: , ,
30/07/2011 - 16:49

Grandes nomes da MPB dão o tom da nova coreografia do Grupo Corpo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

"Sem Mim", nova coreografia do Grupo Corpo

Chico Buarque, Milton Nascimento, Jussara Silveira, Rita Ribeiro e Monica Salmaso, Ná Ozzetti, tem em  comum, além de carreiras brilhantes em nossa Música Popular, o fato de emoldurarem vocalmente Sem Mim, nova coreografia do Grupo Corpo que tem estreia nacional na próxima quarta-feira (4), no Teatro Alfa, e fica em cartaz até 14 de agosto.

Com coreografia de Rodrigo Pederneiras, trilha original de José Miguel Wisnik (que assina, também, a trilha de outros trabalhos do Corpo como Nazareth; Parabelo, em parceria com Tom Zé, e Ongotô, em parceria com Caetano Veloso) e do viguês Carlos Núñez, figurinos de Freusa Zechmeister, cenografia e iluminação de Paulo Pederneiras, diretor artístico do Grupo Corpo. Enfim, com uma equipe como essa é impossível não render-se às superlativas expectativas e correr atrás dos ingressos, antes que acabem! Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema Tags: , , ,
06/04/2011 - 13:13

Veja galeria de fotos de Tio Vânia

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

O Grupo Galpão estreia Tio Vânia no Festival de Curitiba e depois inicia temporada no Galpão Cine Horto, sede da trupe em Belo Horizonte, até junho.

O novo trabalho do grupo, dirigido por Yara de Novaes, chega a São Paulo apenas no final do ano. “Em setembro temos um compromisso nas Europa e depois dele devemos ir para São Paulo”, afirmou o ator Eduardo Moreira.

A estreia nacional ocorre dentro do Festival de  Curitiba, no Teatro Bom Jesus, dia 8 e dia 10 o Galpão repete a dose.[slideshow id=28]

*Michel Fernandes viajou a convite do Festival de Curitiba

Autor: - Categoria(s): GALERIA DE FOTOS, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , ,
04/11/2010 - 19:09

O triste fim do ingênuo patriota excessivo

Compartilhe: Twitter

"Policarpo Quaresma" é a nova pérola da coleção de obras-primas de Antunes Filho

Crítica de Michel Fernandes da peça “Policarpo Quaresma” na íntegra (michel@aplausobrasil.com)

Versão impressa no jornal Diário de São Paulo de 03/11/2010

A genialidade do autor Lima Barreto criou o romance “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, em que critica o positivismo dominante, instaurado com o regime republicano. Na obra são apresentados os desdobramentos tragicômicos que afetam a figura do “Major” Quaresma, um patriotismo excessivo e ingênuo. Antunes Filho e o Grupo Macunaíma/ CPT recuperam a reflexão proposta pela obra no espetáculo “Policarpo Quaresma” – em cartaz no Teatro SESC Anchieta (SESC Consolação) -: “até que ponto há ética no poder?, Até que ponto ter poder suporta que sejamos éticos?”.

A chave da concepção de Antunes é clara desde a primeira cena: é uma opereta bufa calcada nas ingênuas crenças de Policarpo Quaresma (interpretado com minimalismo de excepcional comediante por Lee Thalor que sabe utilizar, com maestria, seus recursos corporais e vocais, adjuntos a sua inteligência). O personagem busca, solitariamente, signos que valorizem a nação como se a mudança para o idioma tupi, a recuperação da moda de viola como “expressão da arte nacional”, a escolha de tecidos “nacionais” para compor seu guarda-roupas, entre outros, bastassem para solidificar valores para a formação de uma nação.

Quaresma, aqui, toma uma posição arquetípica que espelha a nós, em sua maioria, nesses sombrios dias em que valorizamos os feitos dos políticos que ocupam altos postos de poder, fazendo vistas grossas a seus meios nada éticos para alcançarem seus objetivos. Os exemplos aqui, infelizmente, são muitos: dos incontáveis escândalos de corrupção à sordidez da campanha presidencial deste ano. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , , ,
10/10/2010 - 04:04

Boca de Ouro encerra a trilogia com chave de ouro

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Grupo Gattu encena sua terceira peça de Nelson Rodrigues

Boca de Ouro encerra uma trilogia de Nelson Rodrigues, iniciada há cerca de dois anos, pelo Grupo Gattu, que vem apresentando esses espetáculos no Teatro Gil Vicente, nos Campos Elísios. A despeito da localização no prédio da Uniban, não é uma montagem escolar, mas profissional. Sua diretora, Eloísa Vitz foi membro do grupo TAPA.

Boca de Ouro é, a meu ver, uma das melhores peças do grande dramaturgo brasileiro. Teve montagem não muito feliz assinada por Ze Celso e, agora, está imperdível. A peça focaliza um bicheiro safado e mandante de um morro carioca que resolve trocar os dentes por dentes de ouro. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo