Publicidade

Publicidade

17/08/2012 - 18:26

Imperdível, O Jardim fica até o final de agosto no TUSP

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ Ig (mfmanso@globo.com)

"O Jardim" - foto de Annelize Tozetto

SÃO PAULO – A breve, porém marcante, trajetória da Cia. Hiato desde seu início, em 2008, apresenta espetáculos de qualidade e inventividade que mereceu atenção e expectativas maiores, seja por parte da mídia especializada, seja pelo público que a acompanha desde então. Seu terceiro trabalho, O Jardim, um dos espetáculos mais instigantes dos últimos anos, está em cartaz no TUSP apenas até o final de agosto.

Escrito e dirigido por Leonardo Moreira, O Jardim utiliza o mal de Alzheimer como impulso para abordar a memória de maneira interessante e bastante inovadora.

A memória é matéria-prima da obra de consagrados autores como Marcel Proust que, na série de romances Em Busca do Tempo Perdido, faz com que as recordações dos personagens surjam a partir de associações com perfumes, sabores etc. Um indivíduo com Alzheimer também é movido por emoções trancafiadas em seu inconsciente para ter lapsos de memórias de fatos que ocorreram em seu passado mesmo que, em sua contemporaneidade, as lembranças mais ínfimas falhem e ele esteja entregue à catatonia de suas recordações passadas.

Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , ,
11/04/2012 - 22:49

Cia. Hiato chega ao rol dos melhores coletivos de teatro

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil/ iG (michelfernandes@superig.com.br)

"O Jardim" - foto de Annelize Tozetto

CURITIBA – Desde 2008, com seu primeiro trabalho – Cachorro Morto –, a renomada crítica teatral Mariangela Alves de Lima chamou minha atenção para essa jovem Cia. Hiato, destacando que o grupo “apresentava um trabalho bastante interessante”, à procura de uma dramaturgia que dialogasse com a cena que desejavam realizar. Assisti ao espetáculo e me encantei pelo que vi: jovens talentosos e com muita disciplina na realização do trabalho. Por questões que não interessam ser abordadas aqui, perdi Escuro, segundo trabalho do grupo, e graças ao Festival de Curitiba, tive o prazer de assistir O Jardim, texto e direção de Leonardo Moreira, que estreou ano passado e, sem dúvidas, se a tivesse assistido seria voto certo no prêmio em que sou jurado, o APCA.

"O Jardim" - foto de Annelize Tozetto


Conteúdo e forma são aliados em O Jardim que traz um delicado, comovente, hilário e tenso exercício de memórias esparsas, de épocas diferentes e cruzadas, da vida de um senhor, preso na catatonia de seu Mal de Alzheimer e prestes a ser levado a um asilo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , ,
17/02/2010 - 16:26

Cachorro Morto propõe a aceitação das minorias sem moralismo

Compartilhe: Twitter

Kiko Rieser, especial para o Aplauso Brasil (kikorieser@gmail.com)

CACHORRO MORTO é ótima dica no Espaço Vitrine do Teatro Imprensa

CACHORRO MORTO é ótima dica no Espaço Vitrine do Teatro Imprensa

Talvez por ser a arte uma expressão de pessoas inquietas, que se diferenciam da massa informe conformista e apascentada, ela é conhecida por proporcionar ambientes plurais, onde cabem todos e as minorias são abrigadas com certa naturalidade. Provavelmente pelos mesmos motivos, é comum o tema do preconceito voltar à baila em obras de diferentes linguagens.

O teatro, especial ambiente intimista e quase sempre muito diverso no que diz respeito a seus freqüentadores, costuma ser uma das artes que mais se dedicam a este assunto. Porém, essa moral da contemporaneidade, que prega a aceitação irrestrita das pessoas e a tolerância como valor de face da civilidade, ainda vem, muitas vezes, mal disfarçada em peças que se pretendem exemplares. Embora combatendo a moral arcaica, dos ditos conservadores, acaba sendo tratada à moda antiga, ou seja, pela narrativa teatral.

Cachorro morto, espetáculo escrito e dirigido por Leonardo Moreira, trata da Síndrome de Asperger, similar ao autismo e geradora de muitos preconceitos para seus portadores. Mostra, porém, habilidades e limitações de um portador da Síndrome, sem se preocupar em divulgar uma tese ou em passar uma lição, discutindo o tema sem transmitir conclusões já mastigadas ao público. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , ,
Voltar ao topo