Publicidade

Publicidade

24/08/2012 - 23:29

Jarbas Homem de Mello dirige musical infantil que estreia no Teatro GEO

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"O Chapeleiro Maluco", texto de Walter Jr., música de Charles Dalla e direção de Jarbas Homem de Mello

SÃO PAULO – Sábado (25) é data duplamente recheada de festividade e responsabilidade para a carreira de Jarbas Homem de Mello: o ator volta a capital paulista como o MC de Cabaret, personagem que lhe rendeu indiacação ao Prêmio Shell de Teatro, e estréia como o diretor do musical O Chapeleiro Maluco que inaugura o horário para as crianças do Teatro GEO.

Pedro Bosnich é "O Chapeleiro Maluco"

Dos mesmos produtores do musical O Fantasma da Máscara, O Chapeleiro Maluco, de Walter Jr. Inspirou-se na saga de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol, para criar a história em que a garota, interpretada por Mariana Lilla, precisa retornar ao país das maravilhas, após receber um aviso do gato sorridente, e desvendaro mistério do sumiço de uma coleção de chapéus pertencente ao Chapeleiro Maluco (Pedro Bosnich) que anda assoberbado com a criação de chapéus, a organização de um desfile, além da manutenção de seu estoque de chás e guloseimas.

Tudo isso debaixo da ira da mal-humorada e invejosa Rainha de Copas (Rejani Humphreys) que insiste em cortar as cabeças de todos, caso a coleção não apareça. Começando pela dele. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
12/02/2012 - 19:47

Adeus Maneco

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/iG

Manoel Carlos Jr, ou, simplesmente, Maneco.

Que final de semana terrível! Primeiro a notícia da morte da diva pop, Whitney Houston, agora acabo de saber da morte de um dos assessores de imprensa mais queridos dos jornalistas que cobrem  a área cultural em São Paulo, o Manoel Carlos Júnior, ou, simplesmente, o Maneco, quem estava à frente da Quatro Elementos Comunicação.

Filho do primeiro casamento  do autor de telenovelas Manoel Carlos, Maneco morreu devido a um infarto do miocárdio na madrugada deste domingo (12), aos 59 anos. Como o corpo já foi sepultado, restam sentidas lágrimas e eternos agradecimentos a um profissional maiúsculo.

Autor: - Categoria(s): Notas e Oportunidades Tags: , , ,
06/05/2011 - 22:45

Meu Amigo Hélio

Compartilhe: Twitter
Luis Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil

Ainda nos veremos, Helinho

Eu lembro com precisão a noite em que Hélio Bracellos Jr e eu nos aproximamos. Era uma noite fria de junho de 2004 e nós dois, jurados do Prêmio Açorianos de Teatro, fomos assistir a uma montagem gaúcha de Medusa de Rayban, texto de Mário Bortolotto. A partir daquele momento, começou uma amizade que terminou no dia 28 de março, quando Hélio, prematuramente, nos deixou.

Nestes sete anos de convivência, Hélio e eu muito gargalhamos ao telefone, assistindo espetáculos ou simplesmente conversando.

Tínhamos várias afinidades. Adorávamos teatro, telenovelas antigas e pornochanchadas. Portanto, nossas conversas versavam tanto sobre o livro do Lehmann e seu Teatro Pós-Dramático, como sobre o novo espetáculo que Denis Derkian fazia em São Paulo.

Além disso, tive em Hélio um grande incentivador para o meu trabalho. Desde que ingressei no Mestrado da USP, em 2005, até o lançamento do meu livro no ano passado, ele sempre foi de uma generosidade ímpar comigo,me reservando um belo espaço no Jornal do Comércio.
Agora, eu preciso reinventar a vida sem ele.Que triste isso.

Fica a lembrança da sua doçura e, principalmente, da sua deliociosa gargalhada, que quem teve o privilégio de ouvir, jamais vai esquecer.

Obrigado, Meu Querido Amigo

Helio Barcellos Jr. escreveu sobre Bárbara Heliodora

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , ,
06/05/2011 - 22:24

Helio Barcellos Jr. escreveu sobre Bárbara Heliodora

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes

Ainda nos veremos, Helinho

Nós do Aplauso Brasil, há mais de um mês, perdemos um dos colaboradores mais queridos, um colunista excepcionalmente competente, apaixonado e apaixonante, Helio Barcellos Jr., quem, definitivamente, deixou seu nome inscrito no jornalismo cultural, sobretudo o de Porto Alegre.

Recebi a notícia de sua morte em plena turbulência do Festival de Curitiba, onde o conheci em meados da década passada, e, mesmo chocado, tive que dirigir nossa cobertura durante o Festival impedindo maior brevidade em render essa singela e muito, muito mesmo, dolorida homenagem.

Abaixo reproduzo um texto dele publicado aqui e, na sequencia, publicarei texto de Luis Francisco, amigo apresentado a mim e querido tanto quanto Hélio, um de nossos mais assíduos colaboradores.

Ai que saudades de ti, Helinho!

Delirantemente apaixonada pelo teatro

A crítica teatral Barbara Heliodora, 83, acha que a definição de teatro experimental é um pouco diferente no Brasil. “Eu nunca fui diretor, então estou experimentando dirigir; eu nunca fui ator, então estou experimentando atuar; eu nunca escrevi, então estou experimentando escrever”. Essa foi uma de suas pérolas durante a palestra sobre a importância da crítica teatral que ministrou semana passada para cerca de 250 pessoas no Teatro do Sesc, em Porto Alegre. Muito comunicativa, a jornalista de O Globo (RJ) fez a platéia rir muito e, aparentemente, divertiu-se muito ao opinar, de forma irreverente, sobre o teatro brasileiro ao longo de 90 minutos de conversa. Barbara destacou que uma das principais funções do crítico é preparar o público de uma peça com potencial para o novo. Declarou que ama o teatro delirantemente. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas Tags: , ,
Voltar ao topo