Publicidade

Publicidade

15/09/2012 - 12:12

Amizade masculina dissecada em Arte

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

''Arte" - crédito André Wanderley

A compra de um quadro de arte contemporânea provoca uma reviravolta na relação entre Ivan, Marcos e Sérgio, vividos por Vladimir Brichta, Marcelo Flores e Claudio Gabriel. Direção de Emílio de Mello

SÃO PAULO – Partir de um fato corriqueiro para discutir temas profundos da relação humana. Mais uma vez a dramaturga francesa Yasmina Reza tem esta intenção com a peça ARTE, em cartaz na cidade, no Teatro Renaissance, depois de grande sucesso carioca.

Assim como fez em Deus da Carnificina — que a briga entre dois garotos na escola provoca um turbilhão na vida de seus pais —, desta vez é um quadro de arte contemporânea (supostamente em branco) adquirido por Sérgio, interpretado por Claudio Gabriel, causa uma revolução na relação de amizade entre ele e Marcos e Ivan, vividos por Marcelo Flores e Vladimir Brichta. Mais do que discutir conceitos estéticos das artes plásticas, os três rapazes entram numa briga visceral, trazem à tona rugas antigas, pontos de vista diversos sobre a vida, colocando, inclusive, em cheque a amizade entre eles. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE Tags: , , , , , , , , ,
24/08/2012 - 23:29

Jarbas Homem de Mello dirige musical infantil que estreia no Teatro GEO

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"O Chapeleiro Maluco", texto de Walter Jr., música de Charles Dalla e direção de Jarbas Homem de Mello

SÃO PAULO – Sábado (25) é data duplamente recheada de festividade e responsabilidade para a carreira de Jarbas Homem de Mello: o ator volta a capital paulista como o MC de Cabaret, personagem que lhe rendeu indiacação ao Prêmio Shell de Teatro, e estréia como o diretor do musical O Chapeleiro Maluco que inaugura o horário para as crianças do Teatro GEO.

Pedro Bosnich é "O Chapeleiro Maluco"

Dos mesmos produtores do musical O Fantasma da Máscara, O Chapeleiro Maluco, de Walter Jr. Inspirou-se na saga de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol, para criar a história em que a garota, interpretada por Mariana Lilla, precisa retornar ao país das maravilhas, após receber um aviso do gato sorridente, e desvendaro mistério do sumiço de uma coleção de chapéus pertencente ao Chapeleiro Maluco (Pedro Bosnich) que anda assoberbado com a criação de chapéus, a organização de um desfile, além da manutenção de seu estoque de chás e guloseimas.

Tudo isso debaixo da ira da mal-humorada e invejosa Rainha de Copas (Rejani Humphreys) que insiste em cortar as cabeças de todos, caso a coleção não apareça. Começando pela dele. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
24/08/2012 - 19:33

O Cabaret de Claudia Raia volta a SP

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

Claudia Raia é Sally Bowles em "Cabaret"

SÃO PAULO – Um dos grande espetáculos que estreou na capital paulista ano passado, o musical Cabaret, dirigido  por José Possi Neto e protagonizado pela “diva” Cláudia Raia, que, ao lado de Sandro Chaim, assina a superprodução, volta ao Teatro Procópio Ferreira neste sábado (25), 17h.

Desde sua estréia, em outubro de 2011, Cabaret arrebatou o público, conquistou a crítica e recebeu diversas indicações a prêmios paulistanos, como o Prêmio Shell de Melhor Ator a Jarbas Homem de Mello, o MC, mestre de cerimônias do Kit Kat Club, cabaré decadente situado na Berlim pré-nazista, 1931, em que, entre outros números, a inglesa Sally Bowles (Claudia Raia), apresenta os seus. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Matérias, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
01/03/2012 - 21:49

Marcos Tumura e Cabaret despedem-se de São Paulo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

'Salut' "Cabaret"

SÃO PAULO – Amantes do bom teatro musical tem a última chance de assistir ao musical Cabaret na capital paulistana. O espetáculo dirigido por José Possi Neto e protagonizado por Claudia Raia, fica em cartaz até domingo (3) no Teatro Procópio Ferreira e, antes de aportar no Rio de Janeiro fará algumas apresentações no Theatro Municipal de Paulínia, interior paulistano.

Na pele do otimista Herr Schultz (judeu-alemão que acredita que o nazismo seja  molecagem), o ator Marcos Tumura que concedeu esta entrevista em  vídeo e conta sobre sua amizade de mais de duas décadas com Claudia Raia, sobre seu personagem em Cabaret e sobre a evolução do gênero musical no Brasil.

Marcos Tumura

Parte 1 – Onde tudo começou

Parte 2 – O dono da voz de Herr Schultz

Parte 3 – “Brasileiro é um povo musical”

Confira:

Jarbas Homem de Mello introduz estética Dzi Croquettes

Chris Aizner e Fábio Namatame firmam marca de qualidade

Uma Diva chamada Claudia Raia

As marcas de 2011, só algumas Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
10/01/2012 - 18:36

Danton Mello vive filho da “supermãe” Ana Lúcia Torre em comédia dirigida por Alexandre Reinecke

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Como se tornar uma supermãe em 10 lições" - foto de João Caldas

SÃO PAULO – A partir da próxima Sexta, dia 13, os risos estão garantidos para quem for ao Teatro Gazeta. Estreia lá, a comédia Como se tornar uma super mãe em 10 lições, peça que no início da década de 1990, levou multidões ao teatro, quando foi estrelada por Eva Todor. Eu, que fui um destes espectadores, lembro rindo tanto da genial interpretação de Eva, quanto do excelente texto de Paul Fuks. A peça, interpretada por elenco de afiadíssimos comediantes, é contada a partir das lembranças de Daniel (Danton Mello), um típico bom filho judeu, que tenta ministrar uma palestra no dia em que recebe um importantíssimo prêmio de “algebrologia sintagmática”. Na primeira fila do auditório está sua super mãe (Ana Lucia Torre), que o interrompe a todo o momento para perguntar se ele está com as devidas roupas que o protegem do frio e alergias. Até que o submisso filho resolve contar sua história e as consequências da educação de uma mãe superprotetora. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
22/12/2011 - 02:17

Jarbas Homem de Mello introduz estética Dzi Croquettes

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em "Cabaret"

SÃO PAULO – Naturalmente os Deuses do teatro abençoaram a atual montagem de Cabaret, musical de Joe Masteroff, dirigido por José Possi Neto, em que tudo é orquestrado com maestria. E, para estar à altura da exuberante interpretação de Claudia Raia para Sally Bowles, Jarbas Homem de Mello, o MC (Mestre de Cerimônias), enfrentou desafio maiúsculo em sua carreira e o resultado superou a dificuldade: o ator imprime ao personagem um tom andrógino que nos remete à estética dos Dzi Croquettes.

A leitura da peça por José Possi Neto, aliás, é plena de referencias ao estilo do Dzi Croquettes, grupo de dança-teatro nascido nos anos 1970 e formado por atores-bailarinos ou vice-versa cujas características principais, registradas magnificamente no documentário homônimo de Tatiana Issa e Raphael Alvarez, são, além da sátira ao status político atual (no caso de Cabaret, à figura de Hitler que estava em ascensão) e ao travestimento  (os saltos altos usados pelos bailarinos do KitKat Club), a plástica sensual e ousada que os Dzi Croquettes – representantes natos da contracultura – utilizavam, colocando a virilidade de corpos masculinos em situações referentes a um universo homossexual de uma Berlim em que se podia ser o que se era.

A concepção de Jarbas está, pois, prenhe dessa androginia e, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , , , ,
02/12/2011 - 19:13

Espectador ganha o centro do palco em Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois de se apresentar em Brasília e Rio de Janeiro no ano passado, o espetáculo chega à cidade para duas temporadas no CCBB, a primeira até o dia 15 de dezembro e no ano que vem, de 11 de janeiro a 2 de fevereiro

"Cartas de Amor - Electropoprockoperamusical" - foto Guga Melgar

SÃO PAULO – Uma experiência inusitada: o espectador entra no teatro do CCBB-SP e é encaminhado para o centro do palco, com pequenos módulos dispostos aleatoriamente no espaço, com folhas secas jogadas no chão. Ao redor, quatro telões de vídeo e dois quartos, cada um com cama e uma pequena estante com monitor de vídeo. Os atores recebem as pessoas e indicam onde devem se sentar. Percebe-se então que o público fica onde seria a sala daquela casa semi-abandonada. Aos poucos, os atores se dirigem aos espectadores e recitam pequenos versos de amor ao pé do ouvido. Pronto, o clima está estabelecido para que Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical tenha início.

As 14 instalações musicais — rock, pop, MPB— tratam de relações amorosas e conduzem a peça. O roteiro e as letras das músicas, de Flavio Graff, foram criados a partir de histórias encontradas em cartas de amigos dos componentes do grupo, em feiras de antiguidades, além de poemas e referências pessoais de Graff, que também assina a direção ao lado de Emílio de Mello. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , ,
26/10/2011 - 02:32

Claudia Raia realiza sonho e protagoniza Cabaret

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em "Cabaret"

SÃO PAULO – Vinte e dois anos depois da montagem de Cabaret, dirigida por Jorge Takla, cuja estreia ocorreu no Teatro Procópio Ferreira, a atriz Claudia Raia consegue realizar um sonho antigo e subir ao palco do mesmo teatro na pele da prostituta Sally Bowles, protagonista do musical inspirado em romance de Christopher Isherwood, com música de John Kander e letras de Fred Ebb, nesta sexta-feira (28), sob direção de José Possi Neto.

Convidada para protagonizar a montagem de 1989, Claudia Raia teve que declinar do convite por causa de compromissos  com a televisão, mas o desejo de interpretar a personagem não adormeceu.

“Foii uma corrida pelos direitos autorais esse tempo todo. Um dia eu cheguei para o (Sandro) Chaim e disse: – Você tem que me ajudar a conseguir os direitos de Cabaret. Preciso fazer Cabaret antes de estar andando de bengala. Ele topou, foi atrás e conseguiu. É uma produção cara de mais ou menos cinco milhões”, conta Claudia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
08/06/2011 - 22:17

Deus da Carnificina coloca a ideia do “politicamente correto” em cheque

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Elenco de "Deus da Carnificina" - foto Guga Melgar

Segundo o filósofo alemão Max Webber, somos éticos quando criamos uma expectativa e agimos de acordo com a mesma. Logo, podemos chamar os dois casais que compõem o quadro das personagens de Deus da Carnificina, em cartaz no Teatro Vivo, de seres desprovidos de quaisquer resquícios de ética, já que estão submersos num comportamento que vai da máscara da polidez social ao rasgo agressivo e primitivo.

Yasmina Reza, autora francesa de Arte, Um Homem Inesperado e Três Versões da Vida, entre outras, re-afirma sua extraordinária habilidade em urdir palavras que preenchem um enredo, aparentemente, singelo: dois casais se encontram para resolver um problema ocorrido na escola de ambos os filhos – uma agressão física que custou dois dentes de um dos garotos. Os pais da vítima recebem os pais do agressor para que juntos decidam a atitude que devem tomar.

Num primeiro momento, as tintas pasteis adequadas ao estilo “politicamente correto”, esperada pelos “cidadãos civilizados”, preenchem os pinceis desses pais. O documento que deverá registrar o ocorrido é lido e, feita apenas a alteração em uma palavra, é aprovada por todos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas Tags: , , , , , , , , ,
11/01/2011 - 16:24

Comédia de suspense volta a ser encenada

Compartilhe: Twitter

Henrique Stroeter, Dan Stulbach e Danton Mello em "Os 39 Degraus"

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois do sucesso do ano passado, Dan Stulbach, Danton Mello, Henrique Stroeter e Fabiana Gugli retornam ao Teatro Shopping Frei Caneca

Esse ano em São Paulo, ao contrário de anos anteriores, a temporada teatral logo na primeira semana de janeiro começou com estreias e re-estreias. Talvez em virtude de o Carnaval 2011 acontecer somente em março, as companhias e os produtores de teatro resolveram encurtar as férias de fim de ano e o público paulistano já pode curtir as novidades do palco ou assistir a sucessos do ano passado.

É o caso da comédia de suspense Os 39 Degraus, de Patrick Barlow, que voltou ao cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, no último final de semana, com temporada prevista até 13 de março. Em quatro meses de temporada em 2010 foram mais de 70 mil espectadores e pelo que se viu nessa reestréia, outros tantos irão conferir a comédia, baseada no filme de Alfred Hitchcoock, que ganhou tradução de Clara Carvalho e Alexandre Reinecke, que também é o diretor da peça. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo