Publicidade

Publicidade

18/08/2012 - 13:24

Crítica de A Partilha por Macksen Luiz

Compartilhe: Twitter

Macksen Luiz, do Blog do Macksen Luiz, parceiro do Aplauso Brasil (macksenr@gmail.com)

21 anos depois de sua estreia "A Partilha", texto e direção de Miguel Falabella, volta aos palcos, em re-estreia comemorativa

RIO DE JANEIRO – Há 22 anos estreava no Teatro Cândido Mendes uma modesta produção com quarto atrizes, a maioria delas conhecida pela televisão, que lançava o primeiro texto de maior fôlego de Miguel Falabella, A Partilha. A repercussão crítica e popular desta habilidosa comédia dramática de Falabella, que foi vista por milhares de espectadores, excursionou pelo país durante anos e foi levada ao cinema, agora ganha nova temporada no Teatro Oi Casa Grande.

Nesta revisão, confirmam-se suas qualidades, reitera-se a sensibilidade do autor para o universo feminino e para comédia de costumes da classe média. Ao escrever sobre o texto na época, dizia que A Partilha é uma peça simples na qual quatro irmãs se encontram no velório da mãe. retomando pela circunstância da morte (o fim de um tempo) o passado comum. A divisão dos bens, deixados pela morta, acentua as diferenças entre elas e o início de possíveis transformações, lançando-as num jogo em que a crueldade serve de estímulo para que, da divisão, cheguem à unidade, simbolizada pelo conjuntinho de café da Toddy, objeto da união afetiva. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , ,
01/08/2012 - 19:35

Mais de duas décadas de A Partilha comemorados com remontagem

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Miguel Falabella assina a direção da peça que o projetou como um dos nomes mais significativos da dramaturgia contemporânea brasileira

RIO DE JANEIRO  – Foi no dia 30 de maio de 1992. Era uma sessão de Sábado. O local era o hoje desativado e abandonado Teatro da OSPA, em Porto Alegre. Eu tinha 13 anos e tive o privilégio de assistir A Partilha, de Miguel Falabella. Já admirava e muito a carreira de Miguel. Sereias da Zona Sul, que eu assisti em 1989, onde Falabella brilhava ao lado de Guilherme Karam fez eu me tornar um espectador cativo de teatro.

Com A Partilha o encantamento não foi diferente. A história das quatro irmãs que se encontram no velório da mãe (Na primeira cena, quando as quatro estão em volta do caixão havia uma hilária participação em off de Jacqueline Laurence. Será que na nova montagem terá?) me fez rir muito e também ir às lágrimas especialmente, na cena em que Laura (interpretada por Thereza Piffer) revela para as três irmãs que é homossexual e o sofrimento que passou com a morte de sua companheira. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , ,
25/06/2012 - 23:14

Marília Pêra e Miguel Falabella juntos em musical

Compartilhe: Twitter

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Marília Pêra

SÃO PAULO – Até quarta-feira (27), os atores, cantores e bailarinos inscritos, participam das audições paulistanas do novo espetáculo musical que trará ao centro do palco os atores Marília Pêra e Miguel Falabella, Alô, Dolly!, com estreia prevista para outubro, no Rio de Janeiro.

A superprodução, que traz em seu currículo versões premiadas, tanto na Broadway, quanto no cinema, conta a história de Dolly Levi (Marília Pêra), uma viúva casamenteira que acaba se apaixonando por um de seus clientes, Horace Vandergelder

Miguel Falabella

(Miguel Falabella), já este quer se casar com uma chapeleira. Então ela arma um plano que faz com que a chapeleira se apaixone por Cornelius Hackl, um empregado de Vandergelder, fazendo que o caminho fique livre para que Dolly seduza o comerciante Horace Vandergelder.

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , ,
01/03/2012 - 21:49

Marcos Tumura e Cabaret despedem-se de São Paulo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

'Salut' "Cabaret"

SÃO PAULO – Amantes do bom teatro musical tem a última chance de assistir ao musical Cabaret na capital paulistana. O espetáculo dirigido por José Possi Neto e protagonizado por Claudia Raia, fica em cartaz até domingo (3) no Teatro Procópio Ferreira e, antes de aportar no Rio de Janeiro fará algumas apresentações no Theatro Municipal de Paulínia, interior paulistano.

Na pele do otimista Herr Schultz (judeu-alemão que acredita que o nazismo seja  molecagem), o ator Marcos Tumura que concedeu esta entrevista em  vídeo e conta sobre sua amizade de mais de duas décadas com Claudia Raia, sobre seu personagem em Cabaret e sobre a evolução do gênero musical no Brasil.

Marcos Tumura

Parte 1 – Onde tudo começou

Parte 2 – O dono da voz de Herr Schultz

Parte 3 – “Brasileiro é um povo musical”

Confira:

Jarbas Homem de Mello introduz estética Dzi Croquettes

Chris Aizner e Fábio Namatame firmam marca de qualidade

Uma Diva chamada Claudia Raia

As marcas de 2011, só algumas Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
11/01/2012 - 13:19

Xanadu estreia no Rio de Janeiro

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Xanadu" é o novo musical dirigido por Miguel Falabella

RIO DE JANEIRO – Com direção de Miguel Falabella e versão de Artur Xexéo, a superprodução Xanadu aposta na tecnologia e terá mais de 15 cenários, uma centena de figurinos, pássaros robotizados, telões de fibra óptica e até um voo de Danielle Winitis e Thiago Fragoso sobre a plateia. A Estreia sexta-feira (13), no Oi Casa Grande (RJ).

A trajetória de Xanadu já o transformou num clássico. Começou com o filme, um dos símbolos mais representativos da iconoclastia de excessos da década de 1980. Recebido com expectativa e capitaneado por uma estrela à época, Olivia Newton-John, o longa eternizou canções que povoam o imaginário coletivo até hoje.

Thiago Fragoso, Danielle Winits e Sidney Magal protagonizam "Xanadu"

Além disso, tornou-se cult com o passar do tempo e serviu como base para o musical homônimo que estreou na Broadway em 2007.

Com libreto de Douglas Carter e música de Jeff Lyne e John Farrar, esta encenação obteve um imenso sucesso, tendo sido indicada inclusive a quatro prêmios Tony e ganho o importante Prêmio Drama Destak.

Desta montagem vem a inspiração para a superprodução (em todos os sentidos) dirigida por Miguel Falabella – e co-dirigida por Cininha de Paula – com versão de Artur Xexéo (em sua segunda incursão teatral), que traz Danielle Winits, Thiago Fragoso e Sidney Magal à frente do elenco. Enquanto a matriz americana usa e abusa dos cânones máximos da cafonice oitentista, a releitura brasileira também o faz, só que com ‘‘uma pimenta, um molho todo nosso”, segundo Falabella.

E o diretor segue à risca a premissa do escritor Umberto Eco de que ‘’o kitsch é a comunicação que tende à provocação do efeito’’ e conduz um espetáculo que ri de si mesmo: Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , ,
09/12/2011 - 16:18

Eventos celebram aniversário de Clarice Lispector

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Homenagem de Luis Fabiano Teixeira a Clarice Lispector

Homenagem de Luis Fabiano Teixeira a Clarice Lispector

BRASIL – Amanhã, Clarice Lispector (1920-1977) completaria 91 anos. Ela nasceu na Ucrânia, mas veio muito jovem para o Brasil, país onde escreveu boa parte de sua vasta obra que inclui romances, contos e livros para crianças. Para celebrar a memória da escritora, o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro organizou uma conferência com José Miguel Wisnik no sábado, dia 10, às 18h.

Wisnik é ensaísta, professor de literatura brasileira na USP e compositor e falará no IMS sobre importantes obras da escritora, como Laços de família, A legião estrangeira e A hora da estrela. A entrada é gratuita e os lugares são limitados.

Haverá uma atividade para crianças, cujo tema também será a obra de Clarice Lispector. O grupo Histórias para boi dormir apresenta Laura, personagem principal de A vida íntima de Laura, livro infantojuvenil de Clarice.

Veja a programação de outras instituições que também comemoram a data: Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , ,
06/12/2011 - 17:46

Falabella apresenta Xanadu

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Miguel Falabella em "A Gaiola das Loucas"

RIO DE JANEIRO – Imortalizado no cinema por Olivia Newton-John na década de 1980, o musical Xanadu recebeu em 2007 a sua primeira montagem na Broadway. Acabou se tornando um dos maiores sucessos das últimas temporadas por lá, com mais de 500 apresentações invariavelmente lotadas. Quatro anos depois, o espetáculo ganha sua primeira encenação brasileira com uma ficha técnica de respeito. A direção é de Miguel Falabella, que já assinou a direção de excelentes musicais como A Gaiola das Loucas, Hairspray, entre outros.

As versões das músicas ficaram a cargo de Artur Xexéo (o jornalista estreou em musicais com A Garota do Biquíni Vermelho, onde biografou a vedete Sônia Mamede).

Encabeçando o elenco de Xanadu estão Danielle Winits, Thiago Fragoso e Sidney Magal. As atrizes Gottsha e Sabrina Korgut também são destaques do elenco.

Seguindo os padrões do original americano, a superprodução nacional terá figurinos de Marcelo Pies, cenários de Nello Marrese e Paulo César Medeiros como iluminador.

<a href="“>
Vídeo da montagem que estreou em 2007 na Broadway

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Multimídia, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , , ,
26/10/2011 - 02:32

Claudia Raia realiza sonho e protagoniza Cabaret

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em "Cabaret"

SÃO PAULO – Vinte e dois anos depois da montagem de Cabaret, dirigida por Jorge Takla, cuja estreia ocorreu no Teatro Procópio Ferreira, a atriz Claudia Raia consegue realizar um sonho antigo e subir ao palco do mesmo teatro na pele da prostituta Sally Bowles, protagonista do musical inspirado em romance de Christopher Isherwood, com música de John Kander e letras de Fred Ebb, nesta sexta-feira (28), sob direção de José Possi Neto.

Convidada para protagonizar a montagem de 1989, Claudia Raia teve que declinar do convite por causa de compromissos  com a televisão, mas o desejo de interpretar a personagem não adormeceu.

“Foii uma corrida pelos direitos autorais esse tempo todo. Um dia eu cheguei para o (Sandro) Chaim e disse: – Você tem que me ajudar a conseguir os direitos de Cabaret. Preciso fazer Cabaret antes de estar andando de bengala. Ele topou, foi atrás e conseguiu. É uma produção cara de mais ou menos cinco milhões”, conta Claudia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
04/08/2011 - 17:49

José Miguel Wisnik e Carlos Núñez: a mescla de sonoridades que embala o Grupo Corpo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

JOSE MIGUEL WISNIK

Parceiro veterano do Grupo Corpo, José Miguel Wisnik juntou-se com o musicista espanhol, o galego Carlos Núñez, “especialista em instrumentos medievais”, conforme disse, e da mescla entre sonoridades surgiu a trilha composta para Sem Mim, nova coreografia do Grupo Corpo, companhia de dança de Belo Horizonte (MG).

"Sem Mim" - crédito José Luiz Pederneiras

Como meu parceiro de criação, Carlos Núñez,é espanhol, galego, trouxe as gravações das e partituras (do trovador medieval viguês,  Martín Codax) e propôs que gravássemos o material com músicos brasileiros. Ele é um instrumentista especialista nesses instrumentos galegos medievais, uma variedade de flautas, a gaita de fole – que ele é um virtuose (considerado o “Jimmy Hendrix as gaita de fole) -, enfim, trouxe uma porção de instrumentos medievais como a viola da camba que combinaram com instrumentos brasileiros como as violas caipiras instrumentos de percussão, o pandeiro. Da combinação das duas sonoridades nasceu a nossa trilha, da mescla de instrumentos antigos e atuais, das diferentes sonoridades, do mergulho para o interior como do jorro externo”, disse Wisnik. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Dança, Música e Cinema Tags: , , , , , , , ,
02/08/2011 - 18:05

Uma Comédia que é uma obra-prima

Compartilhe: Twitter

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Crítica de "Mais Respeito Que Sou Tua Mãe"

Cláudia Jimenez e Miguel Falabella, juntos, já nos legaram grandes momentos da comédia brasileira. Quem, como eu, assistiu à Como Encher um Biquíni Selvagem, texto de Miguel, onde a atriz em um monólogo interpretava com maestria dez personagens, sabe do que estou falando. Agora, esta maravilhosa dupla nos apresenta outra comédia deliciosa. Mais Respeito que sou Tua Mãe, texto de Hernán Casciari, cuja versão teatral foi realizada pelo ator Antônio Gasalla. O segundo ficou conhecido recentemente, no Brasil, por sua atuação no filme argentino Dois Irmãos. E coube a Miguel a adaptação e direção do original argentino, o que resultou em mais um feliz encontro teatral da dupla Falabella/ Jimenez.

A trama da peça gravita em torno de Nalva, uma dona de casa que vive às voltas com os problemas cotidianos tão comuns entre as famílias latino-americanas. A falta de dinheiro, a ausência de uma perspectiva de melhora financeira, os problemas com os filhos são alguns dos dramas vivenciados pela protagonista. Claudia vivendo Nalva hipnotiza a plateia. Não é exagero afirmar isso. Seu total domínio da cena, seu tempo de comédia único, a ruptura com a quarta parede- traço esse que a faz uma de nossas melhores intérpretes brechtianas- são algumas das diversas qualidades de seu trabalho como atriz na montagem. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , ,
Voltar ao topo