Publicidade

Publicidade

23/08/2012 - 18:22

Um Verão Familiar: novo trabalho da Cia. dos Inquietos

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Ed Moraes em "Um Verão Familiar"

Com texto de João Fábio Cabral e direção de Eric Lenate, o grupo esmiúça a estrutura de uma família por meio do olhar e da memória de Júlio, o filho, vivido por Ed Moraes

SÃO PAULO – Num cenário de poucos elementos,  apenas uma mesa de jantar com cadeiras e um grande tonel de água, Um Verão Familiar, trama de João Fábio Cabral em cartaz no SESC Belenzinho até o dia 9 de setembro, procura analisar em minúcias os bastidores de uma família, constituída de quatro membros: o pai ausente e ao mesmo tempo opressor, a mãe submissa e superprotetora dos rebentos, a filha ingênua, vítima do progenitor, e o primogênito: um garoto sensível, amante das artes e por ser o oposto do pai é sistematicamente oprimido no seio familiar.

No entanto, o público vai descobrindo, aos poucos, como funciona aquela família por meio do relato de Júlio, que retorna ao lar anos depois e relembra o que viveu na infância e adolescência ao lado da família. Como tudo é fruto da memória do rapaz, fica a dúvida do que realmente aconteceu naquele lar, o que é realidade e o que é fantasia dele.

Depois de um grande silêncio, Júlio — numa interpretação tocante de Ed Moraes —, até então submerso no tonel de água, vem à tona e começa seu relato. Inicia sua apresentação dizendo-se ser um jardineiro, amante das flores e das artes. Aos poucos diz que sua paixão pela música vem da infância e suas reminiscências afloram.

Paralelamente ao relato do personagem, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , ,
29/07/2012 - 14:08

Alinne Moraes é Dorotéia

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Teatro Raul Cortez recebe peça escrita por Nelson Rodrigues

SÃO PAULO – Depois de temporada no Teatro Poeira, no Rio de Janeiro, Dorotéia chega a São Paulo. A atriz Alinne Moraes é a protagonista da montagem que conta a história de Dorotéia, prostituta que abandona a profissão após a perda de seu filho e procura a família em busca de salvação. No elenco estão: Gilberto Gawronski, Alexandre Pinheiro, Keli Freitas, Marcus Majella e Paulo Verlings. Dirigida por João Fonseca, a peça fica em cartaz no Teatro Raul Cortez até 14 de outubro.

Em Dorotéia, considerada por muitos uma obra maldita, Nelson coloca em questão como a sociedade condena as pessoas por sua beleza. Doroteia vai à casa de suas primas Dona Flávia, Carmelita e Maura, que são viúvas e muito feias. As três a repudiam devido à sua beleza.

São personagens que reprimem os seus desejos sexuais e para evitar que o pecado tome conta de sua residência, Dona Flávia impõe uma condição para aceitar a presença de Doroteia: que ela fique feia.

Alinne Moraes entrou em contato com o texto há dois anos e se identificou com a trajetória da prostituta que precisa se enfeiarpara assim não chamar mais a atenção de ninguém e ser aceita pelas parentes.  A atriz contou que muitas vezes quis se tornar feia para passar despercebida entre as pessoas. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , ,
04/05/2012 - 18:52

A Mecânica das Borboletas retrata conflito entre irmãos

Compartilhe: Twitter

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"A Mecânica das Borboletas" - foto de Guga Melgar

Eriberto Leão e Otto Júnior são os gêmeos Rômulo e Remo que assumem posturas opostas na vida e 20 anos depois precisam fazer um acerto de contas. Suzana Faíni e Ana Kutner completam o elenco da peça de Walter Daguerre dirigida por Paulo de Moraes


SÃO PAULO – O argumento de A Mecânica das Borboletas, em cartaz no Teatro Anchieta (SESC Consolação), nasceu depois que o dramaturgo Walter Daguerre passou uma temporada numa fazenda gaúcha em que os afazeres eram somente os rurais e campestres, nada da vida urbana e tecnológica. estes opostos (urbano/rural, digital/analógico) motivaram o autor a criar os gêmeos Rômulo e Remo, interpretados respectivamente por Eriberto Leão e Otto Júnior, que encarnam ideais de vida opostos e ao mesmo tempo muito próximos e inconciliáveis: a liberdade que o mundo oferece e a responsabilidade em cuidar da família.

Rômulo deixa o lar e se aventura pelo mundo, tornando-se um escritor de sucesso; já Remo assume a oficina mecânica deixada pelo pai após sua morte, casa-se e cuida da mãe, que ficou perturbada com tantas perdas. A volta do filho pródigo provoca atritos e uma reviravolta no destino de toda a família. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
12/04/2012 - 18:25

Eriberto Leão é destaque em A Mecânica das Borboletas

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"A Mecânica das Borboletas" - foto de Guga Melgar

SÃO PAULO – Depois de temporada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro, A Mecânica das Borboletas faz temporada na capital paulista. A estreia será amanhã no Teatro Anchieta (SESC Consolação). No elenco, Ana Kutner, Eriberto Leão, Otto Jr e Suzana Faíni. A direção é de Paulo Moraes, da Cia Armazém de Teatro.

A Mecânica das Borboletas é um texto inédito do dramaturgo Walter Daguerre e faz uma reflexão sobre a vida contemporânea ao abordar as escolhas da vida e as consequências que elas ocasionam. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,
10/11/2010 - 14:58

Peça celebra centenário de Akira Kurosawa

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Qual das 4 versões é a mais verdadeira?

No ano em que se celebra o centenário do cineasta Akira Kurosawa, a Cia. Os Tios apresenta o espetáculo “Nem tudo é verdade Dentro do Bosque à Noite”, inspirado no filme “Rashomon” (1950), uma das obras-primas do mestre do cinema japonês. Dirigida por Paulo de Moraes, a peça está em cartaz às quartas e quintas-feiras, às 21h, no Teatro Bella.

Assim como para o filme de Kurosawa, o conto de Ryunosuke Akutagawa (1892–1927), considerado o “pai do conto japonês”, serviu de base para Armando Liguori Jr. urdir a trama: um casal entra num bosque e presencia um assassinato. Quatro versões do crime, a partir do ponto de vista de cada um dos personagens, é narrada.

“Kurosawa sugere que é impossível obter a verdade sobre um evento quando há conflitos de pontos de vista. Na montagem da Cia Os Tios, o público é convidado a refletir sobre o que é fato e o que é versão”, comenta Paulo de Moraes. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
01/06/2010 - 19:41

Empoeirados (re) estreia no Teatro Oficina

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Empoeirados" agora no Teatro Oficina

O espetáculo Empoeirados, dirigido por Cristiano Karnas, volta ao cartaz nesta quarta-feira (2), 21h, no palco-avenida do Teatro Oficina, sede do grupo Oficina Uzyna Uzona que excursiona Brasil afora.

Curiosamente no espaço de um dos mais importantes coletivos teatrais do país, Um e Outro, dois atores que acabam de deixar seus respectivos grupos, são os personagens desta adaptação de ÍmparesDo Amor de um Pássaro Por um LagartoCaminham Nus Empoeirados, extraídos do singelo e poético livro de contos A Macaúba da Terra, do ator e escritor Gero Camilo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo