Publicidade

Publicidade

25/09/2012 - 16:01

Barracão Cultural encena Facas nas Galinhas no Espaço Elevador

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

Cláudio Queiroz e Eloísa Elena em "Facas nas Galinhas"

SÃO PAULO – Após temporada no espaço da Cia do Feijão, Facas nas Galinhas re-estreia no Espaço Elevador, dia 06 de outubro (sábado). A direção é de Francisco Medeiros. A trilha sonora é de Dr Morris. Cenário e figurino: Marco Lima. Marisa Bentivegna assina a iluminação. No elenco estão os atores Eloisa Elena, Cláudio Queiroz e Thiago Andreuccetti, do Barracão Cultural.

Facas nas Galinhas, de David Harrower, é um texto poético que propõe reflexões sobre a busca de uma nova rotina de vida. Os personagens da peça vivem num vilarejo distante da cidade, lugar em que a as lendas fazem parte de uma população sem grandes perspectivas de futuro.

A vida da mulher de um lavrador (Eloisa Elena) se modifica a partir do contato com um moleiro. A moça vai ao moinho para moer a farinha. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas, DESTAQUE, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , ,
11/07/2012 - 20:38

A delicadeza do ser singelo seduz em Facas nas Galinhas

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Facas nas Galinhas" no Espaço da Companhia do Feijão

SÃO PAULO – Num primeiro momento ela sabe pouco. Sua trajetória desconhece a metáfora, a poesia que se atinge ao moldar as palavras. Para ela, o que se diz é o que se diz e ponto, sem a virgula que pode esculpir as ideias. Aos poucos, a Mulher do Lavrador descobre que também tem  nome e poesia dentro de si e, essa trajetória seduz o público que lota o aconchegante Espaço do Feijão para assistir Facas nas Galinhas, do escocês David Harrover (Blackbird), em cartaz apenas até domingo (15).

A atriz Eloísa Elena dá vida à personagem que, aos poucos, descobre o sentido das coisas e o prazer em ser. Casada com um rústico Lavrador (Cláudio Queiroz), mais atencioso com seus cavalos do que com a esposa, daí ser chamado de potro, é incumbida de levar os pesados fardos de grãos para sua moenda, no Moleiro (Thiago Andreuccetti) da cidade, figura mitificada pelas pessoas como feiticeiro e assassino da mulher e filho.

A Mulher, instruída pelo marido que ficara cuidando de uma égua prenha, chega absolutamente hostil. Quando, finalmente aceita esperar seus grãos serem moídos na porta da casa do Moleiro, descobre que há mais que se pode apreender das coisas da vida do que sua limitada edu Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Críticas, MICHEL FERNANDES RECOMENDA Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
01/06/2012 - 18:30

Autor de Blackbird volta em Facas nas Galinhas

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (michel@aplausobrasil.com)

Francisco Medeiros dirige "Facas nas Galinhas", do escocês David Harrower

SÃO PAULO – Após arrebatar a plateia paulistana com Blackbird, sua estreia no Brasil, o dramaturgo escocês David Harrower tem seu texto Facas nas Galinhas encenado por Francisco Medeiros. Produzido pelo Barracão Cultural, o espetáculo estreia hoje no Espaço da Companhia do Feijão.

Eloísa Elena (em memorável interpretação n’A Mulher Que ri) é uma jovem mulher que vive em uma aldeia qualquer num tempo indefinido. Casada com um camponês opressor adúltero, ela tem um encontro com o odiado moleiro (dono do moinho) local que a impulsiona no percurso da descoberta de si mesma.

Segundo o diretor Francisco Medeiros, Leia mais »

Autor: - Categoria(s): DESTAQUE, Notas e Oportunidades Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
23/11/2009 - 00:41

Nas Quebradas de Plínio Marcos

Compartilhe: Twitter

Resenha e homenagem de Luis Fabiano Teixeira, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

<i>Plinio Marcos Brutal</i>, quadro de Luís Fabiano Teixeira

Plinio Marcos Brutal, quadro de Luís Fabiano Teixeira

 

Dia 19 de novembro fez dez anos que perdemos um dos dramaturgos mais sensíveis à realidade brasileira: Plínio Marcos. Em Santos, sua cidade natal, várias homenagens marcaram o dia, mas nenhuma delas pode substituir a experiência única que é ler qualquer texto do Plínio. Principalmente pela abordagem original de suas histórias, indignação diante de um mundo cada vez mais cruel e resistência a toda forma de perseguição. As Histórias das Quebradas do Mundaréu (1976), selecionadas, organizadas e revisadas pela atriz Walderez de Barros, estão aí para provar que ele não só foi o precursor da “literatura marginal” no Brasil como também continua sendo o seu maior expoente.

Mesmo em se tratando de narrativas curtas, a linguagem do livro vai além do apuro técnico, é uma imersão sem volta ao universo codificado da marginalidade e dos menos favorecidos. Se por um lado o autor economiza palavras, por outro esbanja tipos dos mais variados: assaltantes, homossexuais, prostitutas, macumbeiros, sambistas, jogadores de futebol e toda sorte de trambiqueiros. Por isso a organização dos capítulos por tema é menos uma preocupação estética que de funcionalidade. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo