Publicidade

Publicidade

10/07/2012 - 15:09

Oficina Cultural Amácio Mazzaropi apresenta peça gratuita

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Pátio interno

SÃO PAULO – Alucinações, delírios e devaneios traz histórias entrelaçadas pela loucura, como psicose, esquizofrenia e drogas. Arnaldo D’Ávila e Jedsom Kárta assinam o texto e a direção. A assistência de direção é de Patricia Briz. As apresentações, gratuitas, acontecem entre hoje (10) e sexta-feira (13), na Oficina Cultural Amácio Mazzaropi, onde fica a sede Brás da SP Escola de Teatro.

A trama apresenta a trajetória de um detetive chamado para solucionar o desaparecimento de um médico e, para tanto, precisa desvendar vários mistérios. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , ,
02/06/2012 - 17:29

OhAmlet re-estreia de graça na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Compartilhe: Twitter

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Daniel Ortega em "OhAmlet"

SÃO PAULO – OhAmlet – do Estado de Homens e de Bichos é baseado na obra de Shakespeare e na fábula Amlet, de SaxoGrammaticus, e propõe uma reflexão sobre o poder no passado e presente, através do mito Hamlet. A dramaturgia e direção são de Evill Rebouças. A peça fez temporada no SESC Consolação, ano passado, e re-estreia na Oficina Oswald de Andrade, de graça, amanhã.

A encenação não reproduz o conteúdo dramático e épico das obras de Shakespeare e do historiador dinamarquês SaxoGrammaticus. O objetivo é investigar o caráter mitológico e provocar um diálogo com o mundo contemporâneo, explorando a confrontação com o mito e não a identificação. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, DESTAQUE, Matérias Tags: , , , , , , , , , , , ,
20/04/2012 - 15:39

Confira programação da VII Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

"Kamouraska" - Cia Inversa Teatro

Organizada pela Cooperativa Paulista de Teatro e, mais uma vez com patrocínio da Petrobrás, a sétima edição da Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo começa na próxima terça-feira (24) na Oficina Cultural Oswald de Andrade que divide a programação, toda ela gratuita, com o SESC Bom Retiro

SÃO PAULO – De 24 (terça-feira) a 29 de abril (segunda-feira), a Oficina Cultural Oswald de Andrade e a unidade Bom Retiro do SESC São Paulo serão palco para as dez atrações latino-americanas e duas espanholas que compõem a grade de programação da VII Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo, cujas atividades são gratuitas e a realização é da Cooperativa Paulista de Teatro e do Instituto Internacional de Teatro da UNESCO no Brasil (ITI- Brasil), e tem como eixo “a mulher na produção teatral da América Latina”.

"As Três Irmãs" - Cia Traço de Teatro - credito Nassau Souza


A peça de abertura da Mostra, que já faz parte do calendário teatral da cidade de são Paulo, terá o coletivo mexicano La Reina Chulas instalando seu cabaré La Banda de Las Recodas – sarcástico painel da sociedade mexicana e suas semelhanças com outros países latino-americanos. Os cubanos do Teatro de La Luna colocarão em relação dois ídolos de Cuba: Célia Cruz e Benny Moré, que se encontram imaginariamente no lendário piano-bar Delirio Habanero. As recifenses Loucas de Pedra Lilás prometem agitação e propaganda em torno dos problemas da mulher com seu As Dom QuiXotas em Defesa dos Direitos Humanos Enfrentando os Cafuçus, e as florianopolitanas da Traço Cia de Teatro exibirão uma singela versão de As Três Irmãs, de Chekhov. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
11/02/2012 - 12:32

Volksbühne e o teatro brasileiro

Compartilhe: Twitter

Manoel Candeias*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Volksbühne

SÃO PAULO – Neste brilhante artigo de Manoel Candeias, escrito pós temporada em Lisboa (Portugal) em estudos para sua tese de doutorado ele, ao assistir a um monólogo do grupo alemão Volksbühne, traça pertinente reflexão acerca da temática e modus operandi entre a companhia alemã e o teatro brasileiro, utilizando, inclusive, fatos recentes como a ocupação da Funarte e posições de grupos como o Oficina Uzyna Uzona para estimular a reflexão dos leitores.

Volksbühne e o teatro brasileiro

Em 2011 morei por oito meses em Lisboa, em decorrência de estudos que tive de fazer para meu doutoramento. Nesse período, assisti a montagens teatrais bastante diversificadas. Desde revistas feitas à moda tradicional, a trabalhos de grupo, dos quais destacaria o coletivo O Bando, cuja linguagem evidencia um longo trabalho de apuramento. No entanto, chamou-me atenção especial a apresentação que o grupo teatral alemão Volksbühne fez na capital portuguesa. Porque era artisticamente interessante, claro, mas, sobretudo, porque levantou questões que ganharam relevância para mim após alguns acontecimentos na cultura do Brasil, conforme comentaremos.

Comecemos pela montagem do Volksbühne

Ich schau dir in die Augen, gesellschaftlicher Verblendungszusammenhang! (traduzido como Olho-te nos olhos, contexto de ofuscação social!) é um espetáculo solo, escrito e dirigido por René Pollesch, protagonizado por Fabian Hinrichs, ator que esteve no elenco de algumas das montagens apresentadas pelo grupo no Brasil. Essas assinadas por Frank Castorf, diretor da companhia. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, Multimídia Tags: , , , , , , ,
23/08/2011 - 15:34

André Garolli e Cia. Triptal celebram 20 anos

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

André Garolli, diretor da Cia. Triptal

Com a leitura dramática da peça Neblina, de Eugene O’Neill, às 19h de hoje na Oficina Cultural Oswald de Andrade, a Cia. Triptal, dirigida pelo excelente ator André Garolli, dá início à celebração de duas décadas da trupe que, nos últimos anos, desenvolve importante trabalho de resgate da dramaturgia menos conhecida do autor norte-americano.

A trama de Neblina conta a história de uma jovem mãe e seu filho sobreviventes de um naufrágio que passam a noite em um barco cercado por uma densa neblina que cai sobre a águas geladas do Atlântico Norte.

“Essa peça, escrita, em 1914 visa explorar a condição do estar perdido como metáfora central para a vida moderna”, explica André Garolli.

A leitura inaugura uma Exposição sobre o trabalho da Triptal – que iniciou sua carreira investigando o teatro de Maria Clara Machado, fundadora do Teatro Tablado (RJ), expoente do teatro para crianças, com o projeto Maria Clara Clareoude segunda à sexta das 10 às 21h e sábado das 10 às 17h.

TUDO GRÁTIS Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias, Multimídia Tags: , , , , , , , ,
17/12/2010 - 15:47

Oficina apresenta repertório e celebra “Teatro de Extádio”

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (

"Taniko - O Rito do Mar" abre as "Dyonisíacas 2010"

)

Durante todo o ano de 2010, o grupo liderado por José Celso Martinez Corrêa, o Oficina Uzyna Uzona, viajou por sete capitais brasileiras realizando quatro peças de seu repertório –“Taniko – O Rito do Mar”, “Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!!”, “Bacantes” e “O Banquete” -, além de realizar oficinas e vivências artísticas, sendo todas as atividades gratuitas.

De volta a São Paulo, ou “Sampã” como denominam os “atuadores” (termo que define os intérpretes do Oficina) do grupo, lugar em que iniciaram as “Dyonisíacas em Viagem 2010” em maio deste ano, eles celebram o sucesso das viagens com direito a um tira-gosto do que será o Teatro de Extádio.

As oficinas oferecidas onde o grupo passou, chamadas Uzynas Uzonas, tiveram papeis fundamentais ao grupo. Além de servir como introdução ao sistema de trabalho do Oficina Uzyna Uzona, os oficineiros vivenciaram o trabalho da trupe liderada por Zé Celso participando como coreutas nos espetáculos apresentados.

Segundo a atriz Camila Mota, que faz parte da diretoria do grupo, essas oficinas gratuitas, seguidas das participações dos oficineiros nos espetáculos, resultaram em experiências bastante ricas, tanto para eles quanto para os atuadores do Oficina Uzyna Uzona. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , ,
28/06/2010 - 14:01

Alberto Guzik escreveu sobre os 50 anos do Teatro Oficina

Compartilhe: Twitter

O queridíssimo Alberto Guzik

Tive a honra de contar com a participação de Alberto Guzik nos primórdios do Aplauso Brasil, e, numa humilde homenagem de quem admira e se desespera com a impressão de que podia fazer mais, re-publico o que, considero uma pérola, dentre tantas que produziu, em que escreveu sobre os 50 anos do Teatro Oficina. Evoé, Alberto!

Zé Celso: Trajetória de coerências e inquietações

Alberto Guzik, especial para o Aplauso Brasil

Ver os trabalhos de Zé Celso Martinez Correa tem sido para mim, como para muitos outros espectadores, ao longo dos últimos quarenta e tantos anos, um caminho de aprendizado traçado na coerência.

O projeto que, desde sua criação – em fins dos anos 1950 – na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, vem sendo executado pelo teatro Oficina e por seu mentor, Zé Celso (José Celso Martinez Corrêa), impressiona pela organicidade que extrai da diversidade. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores Tags: , , , , ,
01/06/2010 - 19:41

Empoeirados (re) estreia no Teatro Oficina

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Empoeirados" agora no Teatro Oficina

O espetáculo Empoeirados, dirigido por Cristiano Karnas, volta ao cartaz nesta quarta-feira (2), 21h, no palco-avenida do Teatro Oficina, sede do grupo Oficina Uzyna Uzona que excursiona Brasil afora.

Curiosamente no espaço de um dos mais importantes coletivos teatrais do país, Um e Outro, dois atores que acabam de deixar seus respectivos grupos, são os personagens desta adaptação de ÍmparesDo Amor de um Pássaro Por um LagartoCaminham Nus Empoeirados, extraídos do singelo e poético livro de contos A Macaúba da Terra, do ator e escritor Gero Camilo. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , ,
29/04/2010 - 10:48

Zé Celso e Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona esquentam os motores para o Festival Dionisíacas em Viagem

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

TANIKO abre o FESTIVAL DIONISÍACAS EM VIAGEM

Com espetáculos e oficinas, o grupo Oficina Uzyna Uzona, liderado por José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, esquenta os motores a partir de hoje com apresentações – apenas duas semanas – das peças que compõe o repertório do Festival Dionisíacas em Viagem que percorrerá oito estados brasileiros, sendo a primeira delas Taniko, um clássico do nô japonês, com abela interferência “bossa-nova”, dada por Zé Celso.

Será a primeira turnê, em mais de 50 anos de Oficina, em viagem com quatro espetáculos de seu recente repertório – Taniko, Bacantes, Cacilda!! – Estrela Brazyleira à Vagar e O Banquete de Platão – em que o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona e oficinas de troca. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , ,
19/01/2010 - 11:14

Zé Celso sai do centro cirúrgico cantando

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

zePolêmico e irreverente desde sempre, José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, patrimônio do teatro brasileiro, saiu cantando do centro cirúrgico do Hospital Sírio-Libanes onde se submeteu a uma cirurgia para a colocação de um marca-passo.

“O Zé (Celso) saiu do centro cirúrgico cantando, mas mais mole e meio engruvinhado por causa da morfina, ele teve dores no ombro, pós operação, normal disseram as enfermeira, Eu ansioso tomei um rivotril, relaxei, esqueci”, disse Marcelo Drummond, ator, diretor e companheiro de Zé Celso no Oficina Uzyna Uzona.

Evoé Zé Celso e breve recuperação!

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo