Publicidade

Publicidade

06/08/2010 - 17:10

Brava Companhia apresenta novo espetáculo

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Este Lado Para Cima" - Brava Companhia - crédito Fabio Hirata

Estreia logo mais, às 17h30, no Largo São Francisco, o espetáculo Este Lado Para Cima – Isso Não é um Espetáculo, novo espetáculo da Brava Companhia.

O novo trabalho da trupe, ao ar livre, pretende discutir as relações de trabalho e o poderoso mercado do consumo apresentado personagens que representem determinado tipo social como o Economista, o Apresentador de programa de TV, os Pastores de rua, a Ordem, o Progresso, entre outros, por oito atores.

Este Lado Para Cima, dirigido por Fábio Resende e Ademir de Almeida, conta com verba do Programa de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo e terá duas apresentações no Largo São Francisco (dias 6 e 13 de agosto, ambas às sextas-feiras) e 12 apresentações, aos domingos, em ruas e praças – como Grajaú, Parelheiros, M’boi Mirim, São Luis, Campo Limpo e Cidade Ademar (confira os locais e horários no blog da Brava Companhia: http://blogdabrava.blogspot.com).

“Durante toda nossa trajetória percorremos mais de trezentos bairros da cidade, principalmente os da zona Sul. O Sacolão das Artes, Espaço Brava Companhia, é nossa sede, porém é de extrema importância que nosso teatro não se resuma apenas ao espaço. Queremos percorrer outros lugares, outras trincheiras poéticas, com nossos espetáculos”, explicam os diretores.

Em entrevista exclusiva a Michel Fernandes, o diretor Ademir de Almeida fala sobre Este Lado Para Cima, continuidade da pesquisa iniciada com Errante, espetáculo anterior da cia. que será reapresentado a partir deste sábado (veja serviço ao final da matéria). Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , ,
01/05/2010 - 06:28

Transexuais, “Teatro Expandido” e “Teatros do Real” em Hipóteses Para o Amor e a Verdade n’ Os Satyros

Compartilhe: Twitter

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Phedra D' Córdoba e Esther Antunes em HIPÓTESES PARA O AMOR E A VERDADE

Estreia logo mais um instigante trabalho da Cia. de Teatro Os Satyros com propostas que prometem abalar a forma tradicional em que o teatro se apresenta. Hipóteses Para o Amor e a Verdade, texto de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, que também assina a direção, busca investigar a linguagem que batizaram de “Teatro Expandido”.

No elenco atores, não atores e três transexuais: uma delas a diva da companhia, a deliciosa e dona de talento ímpar, Phedra D’ Córdoba. A trama e personagens surgiram nas entrevistas realizadas com a população que circunda a Praça Roosevelt. E posso garantir que a fauna de tipos humanos é bastante diversificada.

Antes de entrar no enredo da peça, peço licença ao senhor leitor para observar um dos motivos que mais me instiga a assistir a peça: no artigo “Teatros do Real”, um dos brilhantes textos de Teatralidades Contemporâneas, escrito por Sílvia Fernandes – uma de nossas mais competentes teóricas de teatro –, é apontado como característica da linguagem teatral contemporânea essa mescla de ficção e verdade, apoiada numa representação que rejeita o naturalismo, bem como o engajamento político didático, o foco da ação no indivíduo e como ele dialoga com seu meio social. E essa parece ser a proposta de Hipóteses Para o Amor e a Verdade que tem como mote a vida de pessoas anônimas do centro de São Paulo, suas crenças e seus afetos diante da Nova Humanidade. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Matérias Tags: , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo