Publicidade

Publicidade

21/05/2012 - 20:58

Intrépida Trupe apresenta Coleções em Campo

Compartilhe: Twitter

Marcos Damigo*, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Coleções em Campo"

RIO DE JANEIRO – Assistir ao novo espetáculo da Intrépida Trupe, concebido por Valéria Martins, nos propõe uma questão antes mesmo de começar. Encenado gratuitamente de quinta a domingo às 15 horas no Campo de Santana, no Centro do Rio de Janeiro, existe já de cara o convite a passar algumas horas num lugar que, apesar de sua beleza e importância, é bastante ignorado por quem não circula muito por aquela área da cidade.

Vale um parênteses então: o Campo de Santana é um oásis em meio à loucura da região, com baobás e ficus gigantescos, espelhos d’água, cotias e pavões, que dividem o espaço com uma infinidade de gatos, abandonados ali por seus ingratos ex-donos. Para se ter uma dimensão da sua importância, naquele exato local foram feitas as aclamações de D. João VI e D. Pedro I como Imperadores do Brasil.

A proposta da Intrépida de ocupar aquele espaço adquire então desdobramentos que vão além do próprio espetáculo, e que nos fazem refletir sobre a maneira de nos relacionarmos com essa cidade bela e cruel que é o Rio de Janeiro. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Artigos, Resenhas e Crônicas, Colaboradores, DESTAQUE Tags: , , , , , ,
04/05/2012 - 20:49

Até o espetáculo é fluido como o texto

Compartilhe: Twitter

Maria Lúcia Candeias*, especial para o Aplauso Brasil aplausobrasil@aplasobrasil.com)

Helio Cicero e Samir Yazbek dividem a cena em "Fogo Fátuo"

SÃO PAULO – Que Fogo Fátuo é um texto excelente não é novidade para ninguém, pois é assinado pelo premiado  Samir Yazbek (O Fingidor e As Folhas de Cedro). As novidades são a maneira extremamente delicada com a qual ele lida com a consciência da constante mutação de nosso tempo e a dificuldade com que, até mesmo, Mefisto lida com a questão.

Outra surpresa é que o autor interpreta sua própria obra ao lado do consagrado Hélio Cícero (que palpitou também na dramaturgia) e se dá muito bem nessa estreia. Hélio faz um Mefisto moderno, mas que parece uma visão e não se tem certeza que é de carne e osso. O diálogo entre eles é primoroso, nem uma palavra de sobra. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Críticas Tags: , , , , , , , , , , , ,
08/10/2010 - 02:58

RockAntygona: Tragédia grega de cara nova

Compartilhe: Twitter

Adriano Oliveira, especial para o Aplauso Brasil

Luís Melo é Creonte em adaptação de "Antígona"

O diretor Guilherme Leme dá cara nova ao texto da tragédia grega Antígona, de Sófocles. Durante dois anos, Leme buscou um novo projeto, até que conseguiu e trouxe uma encenação moderna que conta com a participação do ator Luis Melo. A cidade do Rio de Janeiro já conferiu a atração. Agora é a vez da terra da garoa, São Paulo, prestigiar o espetáculo RockAntygona.

A trama conta a trajetória de Antígona, protagonizada pela atriz Miwa Yanagizawa, que deseja enterrar o seu irmão Polinice, o qual atentou contra a cidade de Tebas. Porém, o tirano Creonte (Luís Melo) impede que os mortos, que atentaram contra a cidade, fossem enterrados. Uma ofensa para a família do morto. A heroína Antígona desafia as leis e enterra o irmão, sendo depois capturada e condenada à morte por Creonte. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Colaboradores, Matérias Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo